terça-feira, 20 de março de 2007

F 1: 1 X 0 para Raikkonen

Definitivamente a temporada 2007 da Fórmula 1 é uma disputa entre os companheiros de equipe. E nesta briga, infelizmente para a torcida brasileira, após vencer com muita folga o GP da Austrália, o finlandês Kimi Raikkonen saiu na frente do brasileiro Felipe Massa.
Mas se no placar existisse a possibilidade de vencer por meio a zero, esta seria a melhor pontuação para definir os acontecimentos de Melbourne.
Isso porque Massa foi traído pelo mesmo equipamento que o fez voar nos testes de inverno, e o colocar como um dos favoritos ao título, quando teve a caixa de câmbio quebrada e foi impossibilitado de brigar pelas primeiras posições do grid, e teve que largar em último!

Mesmo assim, durante todo o final de semana, manteve-se sóbrio, parecia um campeão do mundo, postura que o ajudou a terminar não só na zona de pontuação, mas em sexto lugar e marcar preciosos pontos. Se Kimi largou em primeiro e não teve resistência para vencer, Massa enfrentou todos os outros competidores, na dura posição de no final do pelotão. Certo que o ‘se’ não ganha corrida, mas se Felipe largasse ao lado do finlandês, o brasileiro daria trabalho. Kimi até poderia ganhar, mas não de maneira tão fácil.
O problema é que Massa não pode deixar o rival se distanciar, tem que ganhar na Malásia, e deixar uma pequena diferença entre os dois, porque se não a Ferrari vai optar pelo 'Ice Man' para ser campeão e Felipe voltará a condição de segundo piloto.

Um a zero também para o estreante Lewis Hamilton da McLaren. Mas aí você pode pensar, por quê?
Bem, o inglês - que segundo Galvão Bueno da Rede Globo é chamado pelos brasileiros de Robinho -, fez a sua primeira corrida na Fórmula 1, liderou a prova e só não chegou em segundo porque foi atrapalhado em sua segunda parada. E seu companheiro é nada mais nada menos que o atual campeão Fernando Alonso. Hamilton mostrou maturidade exemplar para quem estréia, e se continuar assim logo, logo, estará brigando por vitórias.

Só um a zero para Fisichella, que apesar de defender a Renault, equipe campeã das duas últimas temporadas, foi apático, e o máximo que fez foi arriscar uma desnecessária batida de rodas na saída do box, com o outro italiano Jarno Trulli da Toyota. Com toda a sua experiência, esperava-se mais do piloto. E o estreante Heikki Kovalainen deixou a desejar no festival de erros e rodadas. A Renault terá uma temporada dura pela frente!

Um a zero para Nick Heidfeld da BMW, mas só porque o carro de Robert Kubica quebrou, aqui ficou evidente que a equipe alemã evolui muito do ano passado para este e confirmou o que o chefão do time Mario Theissen, dizia quando só fornecia motores para Williams. Ele afirmava que o motor BMW é muito bom, mas o carro não ajudava. Eles até se propuseram a ajudar no desenvolvimento do monoposto, o que foi negado. Agora Frank Williams amarga ver seu time em posições intermediarias, enquanto a Sauber BMW caminha para chegar entre as grandes.

Um a zero para Rubens Barrichello. Deixou de reclamar e fez o que pode com o carro da Honda, o qual mostrou-se ruim, em todos os sentidos, até a Super Aguri que seria o time B da montadora japonesa, andou na frente durante a classificação dos carros ecologicamente corretos (pelo menos na pintura). Já Jenson Button só atrapalhou, não deixou o brasileiro passar por 10 voltas e impediu Barrichello de se aproximar da zona de pontuação.
Esta primeira prova do ano mostrou que a Ferrari está bem a frente da concorrência, e times como Red Bull, Toro Rosso, Williams e Spyker continuam na mesma, ou seja, coadjuvantes. Já Renault e McLaren terão que gastar muita borracha para chegar a ponto de disputar o titulo.
Rapidinhas
“Foi um lixo”
Flavio Briatore, diretor da Renault foi critico com o estreante Heikki Kovalainen, “Todo o mundo o viu pela televisão. Não preciso defender ninguém. Foi um lixo”.
Torcida brasileira
Jean Todt diretor técnico da Ferrari foi discreto no podium ao lado de Raikkonen, lembrava os tempos de Schumacher, quando o alemão não ganhava e o outro do time subia no degrau mais alto. A explicação veio na declaração sobre Massa, “Ele melhorou muito do ano passado para cá e a equipe torce muito por ele. Todos na Ferrari o adoram. Estou muito feliz por ele”. Precisa falar ao lado de quem Todt queria estar?
Dias melhores
Após o fim de semana acidentado da equipe Honda na Austrália, Rubens Barrichello permaneceu otimista, “eu acho que tiramos o máximo do carro, fica claro que existe muito trabalho a fazer para melhorar. Pelo menos sabemos onde estão nossos problemas e já temos algumas idéias de como resolvê-los. Estou certo de que poderemos fazer algum progresso antes da Malásia”.
Êxtase e moderação
Dois lados distintos, o inglês Lewis Hamilton até chorou no podium, “estou em êxtase, o resultado é mais do que podia ter sonhado para minha estréia em um Grande Prêmio”. Já o espanhol e bicampeão Fernando Alonso foi moderado, “acho que foi um bom fim de semana e um bom inicio de temporada, temos de ficar satisfeitos”.






Postar um comentário