segunda-feira, 9 de abril de 2007

Avaliação Palio Wekeend Adventure

Palio Weekend Adventure, a pioneira
Visual esportivo, apelo off road, bom espaço para transportar passageiros e bagagens, são algumas das qualidades desta station wagon sarada da Fiat
Texto: Edison Ragassi
Fotos: Alexandre Andrade
Derivada do Palio, a perua Weekend chegou ao mercado nacional em 1997, como opção para o consumidor que tem a necessidade de usar um veículo espaçoso, porém ágil, tanto na cidade como nas rodovias.
Dois anos depois (1999), em uma atitude ousada para a época, a montadora de Betim (MG), reestilizou a linha Palio e transformou seu carro familiar em esportivo, com apelo fora-de-estrada, ao apresentar a Palio Weekend Adventure.
Na época do lançamento, era equipada com motor 1.6 16v e trazia de série itens como: vidros e travas elétricos, direção hidráulica, apoio para a cabeça nos bancos dianteiros e sistema de som com CD player. ar-condicionado, freios ABS e airbags figuravam na lista de opcionais.
Para completar o design aventureiro, quebra-mato preto e três pares de faróis. Nas laterais, estribos tubulares, molduras de plástico nos pára-lamas, tampa traseira com apóia-pé e as máscaras de proteção externa nas lanternas traseiras na cor do carro. Além disso, no teto, duas barras longitudinais pretas, mesma cor dos pára-choques integrados dianteiros e traseiros.
Como a perua vitaminada agradou o consumidor, a Fiat investiu no modelo, que passou por uma plástica em 2003.
Em relação a primeira geração, a Adventure ganhou faróis com lentes escurecidas, dois faróis auxiliares de cada lado (de neblina e profundidade). Proteção de borracha no pára-choque e grade dianteira, e maçanetas das portas, iguais às do Palio.
Na traseira, as lanternas ficaram maiores, invadem parte da tampa do porta-malas. Ainda permaneceram os estribos tubulares laterais, e as barras no teto, saiu o quebra-mato. Também ganhou propulsor 1.8 8v, que substituiu o 1.6 16v, e em 2005 mais uma mudança, pois chegou o 1.8 8v Flex, o qual é produzido pela GM Powertrain.
Apesar do visual externo robusto, o interior é bem requintado. O painel tem linhas retas, desenho do quadro com grafia limpa. As informações do computador de bordo aparecem ao centro do quadro, e são mostradas com um simples toque no botão localizado na alavanca que comanda os limpadores. Também é possível visualizar a estação de rádio, ou faixa do CD selecionada no sistema de som, que é embutido no painel, e lê gravações feitas em MP3.
O volante tem regulagem de altura, boa empunhadura, comandos de vidros e portas de fácil manuseio. E ainda comando elétrico para o banco do motorista, que ajusta altura.
A capacidade do porta-malas é de 460 litros, sem rebater o banco traseiro.
Mas a engenharia da Fiat, não colocou só acessórios que incrementaram o visual. Comparada com o modelo Weekend, o comprimento é de 4.257 mm, contra 4.215 mm, a distância entre-eixos 2.465 mm, a Weekend tem 2.437mm.
O sistema de suspensão também foi trabalhado, pois a Adventure tem 1.595 mm de altura, contra 1.523 mm da irmã mais comportada.
As rodas da Week são 5,5 x 14", aço estampado ou 5,5 x 15” em liga leve, já a Adventure usa liga-leve 5,5 14", mas os pneus são de uso misto (asfalto/terra), 175/80 R14 enquanto a Weekend usa compostos 175/70 R14.
Estas mudanças são facilmente sentidas ao dirigir a Adventure, principalmente na cidade de São Paulo, com piso tão irregular.
É confortável ao passar por ondulações do asfalto. Obstáculos como lombadas e valetas, são transpostos de maneira fácil, mas os pneus emitem um ‘zumbido’, típico de composto misto.
Motor forte (112 cv quando consome gasolina e 114 cv com álcool, ambos a 5.500 rpm), proporciona boas arrancadas, retomadas e aceleradas.
Nesta avaliação levei a Adventure para uma trilha não muito severa, localizada na Estrada Velha de Santos, e na terra, o carro não decepcionou.
Em velocidade média de 80 km/h parecia trafegar no asfalto. O sistema de frenagem se mostrou preciso (afinal além de andar rápido é necessário parar com segurança), assim como a caixa de mudanças que oferece trocas macias.
Não é um veículo para competir no Rallye dos Sertões. Mas quem gosta de um carro com visual robusto, e vai utilizá-lo no dia-a-dia de trabalho, aventuras aos finais de semana em sítios e chácaras, terá as necessidades plenamente satisfeitas.
Consumidor apaixonado
O publicitário Sergio Pavia, adquiriu uma Adventure, em março do ano passado. “Pensei que teria alguma dificuldade com o desempenho, pois meu carro anterior tinha motor 2.0 e a Palio Adventure 1.8 Flex”, comenta ele.
Essa desconfiança deixou de existir logo nas primeiras aceleradas, “o motor superou minha expectativas, pois não senti diferença em relação ao 2.0”, explica.
Ele escolheu a ‘perua sarada’ da Fiat porque o design chamou a atenção, “ela tem um visual agressivo, é alta, macia para guiar, sou um verdadeiro apaixonado pela Adventure”, afirma Pavia.
O publicitário utiliza o veículo em seu dia-a-dia de trabalho, aliás, ele conta que pelo espaço e conforto oferecidos é o carro oficial da galera para as viagens em feriados e finais de semana. Já passou pela primeira revisão (recomendada aos 15.000 km) e não apresentou problemas.
O estilo ‘aventureiro urbano’ lançado pela montadora italiana ganhou público cativo e agrada muito os compradores do sexo masculino e feminino. Geralmente o homem é de faixa etária entre 33 a 37 anos, com filhos e quer um carro com porta-malas grande e visual esportivo.
Entre o sexo feminino, a Adventure também tem fãs, e elas valorizam o visual, e a cor vermelha é a mais procurada.
Elas não se preocupam tanto com a motorização e como o homem, tem filhos, outro atributo que chama a atenção das mulheres é a altura, pois elas gostam de carros robustos.
Esta afirmativa é confirmada pela microempresária Luciana Diniz Pessoa Padilha. Ela já teve vários modelos da linha Fiat, entre eles uma Weekend 1999, o Doblò, e em fevereiro de 2006 a Palio Weekend Adventure.
Escolheu a perua sarada porque: “gosto dos carros da Fiat, são resistentes, e com baixa manutenção, e prefiro carros esportivos, com motor forte, os mais comportados não chamam a atenção, a Adventure é ótima, pois reúne espaço, conforto e visual bonito, é a minha cara”, afirma.
Luciana usa sua Adventure diariamente para trabalhar, mas aos finais de semana, “o carro do meu marido, um Palio, fica em casa, pois passeios e viagens são feitos com a Adventure, já que carrego tudo que é necessário”, comenta.
Entre os equipamentos, a microempresária valoriza o ar-condicionado, direção hidráulica, e contrariando a maioria das mulheres, propulsor potente, “um motor forte transmite segurança, já o visual transmite jovialidade”, por isso estou satisfeita com o meu carro”, completa Luciana.

O preço sugerido para venda da Palio Weekend Adventure em São Paulo é de R$ 50.220 (versão de entrada) e traz de série itens como: ar-condicionado, direção hidráulica, computador de bordo, rodas em liga-leve 5,5 x 14. Já o modelo topo de linha, igual ao avaliado por Auto Agora, com sensores de estacionamento e crepuscular, sistema de som que toca MP3, entre outros, chega a R$ 60.021.
Ficha técnica
Palio Weekend Adventure 1.8
Motor
Transversal, dianteiro
4 cilindros em linha
Cilindrada total:1.796 cm³
Taxa de compressão: 10,5:1
Potência máxima: 112 cv (gasolina.) 114 cv(álcool) ambos a 5.500 rpm
Torque máximo: 17,8 kgm (gasolina) 18,5 kgm(álcool) ambos a 2.800 rpm
Número de válvulas por cilindro: 2
Tração: Dianteira com juntas homocinéticas
Embreagem: Monodisco a seco com mola a disco e comando hidráulico
Sistema de freios
De serviço: Hidráulico com comando a pedal (ABS opcional)
Dianteiro: A disco ventilado com pinça flutuante
Traseiro: A tambor com sapata autocentrante e regulagem automática
Suspensão dianteira
Tipo: MacPherson com rodas independentes, braços oscilantes inferiores transversais (barra estabilizadora em veículos com direção hidráulica)
Amortecedores: Hidráulicos, telescópicos de duplo efeito, Elemento elástico, Molas helicoidais
Suspensão traseira: Com rodas independentes, braços oscilantes longitudinais e barra estabilizadora
Amortecedores: Hidráulicos, telescópicos de duplo efeito, tipo WET
Direção: Hidráulica, pinhão e cremalheira
Rodas: Aro 5,5 x 14"em liga leve
Pneus: 175/80 R14
Peso do veículo: Em ordem de marcha1.168 kg
Carga útil (com condutor): 500 kg
Dimensões externas
Comprimento do veículo: 4.257 mm
Largura do veículo: 1.664 mm
Altura do veículo (vazio):1.595 mm
Distância entre-eixos: 2.465 mm
Altura mínima do solo (vazio): 170 mm
Compartimento para bagagem: 460 litros
Tanque combustível: 51 litros
Postar um comentário