segunda-feira, 28 de maio de 2007

F 1 GP de Mônaco

Até parece carro de rua
Tradicional prova do calendário da Fórmula 1, Mônaco é a corrida mais charmosa da temporada, e também a que causa maior polêmica entre os profissionais da imprensa especializada. Uns concordam e outros discordam, acham absurdo que carros com quase 900 cavalos de potência no motor, disputem espaço com os guardrails.

Você quer saber qual é a minha opinião?
Pois bem, eu aprovo!
E não é nenhuma incoerência, já que escrevi nesta coluna que a F 1 anda carente de ultrapassagens. Então por quê concordar com uma corrida, onde as chances de ultrapassar são mínimas?
É simples: em Mônaco dá pra analisar como anda a sensibilidade e reflexo de cada piloto. É também o circuito onde lembramos que os potentes bólidos são carros!
Com muita tecnologia embarcada, adesivos que substituem porcas e parafusos, engrenagens no lugar de correias, mas simples carros com motor, câmbio, volante e quatro rodas, os quais precisam ser controlados por seres humanos, e estes sim, sujeitos a erros.
Não é fantástico ver um Fórmula 1 passar por faixas de sinalização estampadas no asfalto? Fica até a sensação de que ele vai parar em semáforo para deixar o pedestre passar.

E esta história de que não há lugar para ultrapassar, eu não engulo, pois neste mesmo circuito vi botas como Piquet, Senna, Prost, Mansell fazerem memoráveis ultrapassagens, nas ruas do principado. Por isso, afirmo que falta um pouco de ousadia para os atuais pilotos. No mais a emoção foi observar, e até apostar em quem chegaria no final, sem parar no guardrail.

Agora falando sobre a corrida, e os resultados, eles foram bem previsíveis. A começar pela Renault, ela confirmou que a distancia entre-eixos escolhida para o carro foi equivocada e como conseqüência o conjunto não se adaptou aos pneus Bridgestone, e só em corridas de baixa pode sonhar com pontos. Já a Ferrari, está muito mais preparada para disputas em alta velocidade, e a McLaren deve continuar a liderar em situações de pista travada.
Mas antes de qualquer mudança ou acerto, vai ter que aplacar a ira da imprensa e torcida inglesa, pois a chiadeira é geral porque o time de Ron Dennis favorece o espanhol Fernando Alonso, apesar da revelação Lewis Hamilton estar na liderança da competição.

A Honda continua perdida, e o carro não corresponde, seja em alta ou baixa, mas o brasileiro Rubens Barrichello consolida-se no time como um ótimo acertador, e Button sabe andar rápido, mas se o carro não corresponde, fica perdido.
Boa a regularidade da BMW Sauber, pois colocou Robert Kubica e Nick Heidfeld na zona de pontos, ao terminarem em 5º e 6º lugares. O time já somou 30 pontos e está em terceiro no lugar no mundial de construtores, e deixaram pra trás Renault e Williams.

E Felipe Massa, não pode ser criticado por correr pensando no campeonato. Desde o inicio falou que não gostava da pista. Então, porque arriscar ?
Um campeão tem que saber quando é hora de ser agressivo, ou correr com a cabeça. Nestas 5 corridas, Massinha provou que é capaz de tomar tal decisão, e o melhor, está apenas há 5 pontos dos lideres, e há longos 10 do companheiro Raikkonen. A Ferrari deve levar isso em conta, e a partir do Canadá trabalhar com mais afinco para o brasileiro.
Desde a morte de Ayrton Senna em 1994, que um brasileiro não tinha tanta chance de ser campeão. Acelera Massa! A torcida agradece.
Rapidinhas
Farpas
Durante a coletiva de imprensa, Lewis Hamilton, contestou a ordem de ir para o boxe e fazer uma segunda parada. Mas disse que precisa ser assim, pois seu carro leva o numeral 2. Pronto! A Fia entendeu, o que tudo mundo já sabe, que Alonso foi favorecido, e vai investigar. O resultado pratico: vai terminar em pizza, ou melhor, mais inglês, no Pub. O certo é que Hamilton começa a trocar farpas com o companheiro. Bom para Massa.
Ele errou!
“Bati no muro várias vezes durante a corrida e ainda bem que tenho um carro bastante resistente”. Palavras do menino prodígio da McLaren, Lewis Hamilton, que nas últimas 4 provas pilotou como gente grande, mas em Mônaco... ele errou!
Desapontamento
“Estou desapontado com o 10º lugar, porque acho que tínhamos chance de chegar aos pontos hoje, mas a oportunidade não se materializou. Depois da minha primeira parada eu fiquei preso atrás do Wurz, e foi o que decidiu o resultado”, disse Rubens Barrichello, sobre o fato de largar em 9º e terminar uma posição atrás. O time japonês precisa rever seus conceitos, taca Ross Brown neles!
Ajuda externa
Apesar de vencer a primeira etapa do ano, Kimi Raikkonen decepciona a cada prova. Os resultados negativos levaram alguns a achar que Ice Man, está descongelando. Keke Rosberg, ex-campeão e também finlandês, conversou seriamente com o conterrâneo. Ele disse que Raikkonen precisa honrar a tradição do país na categoria. Só para lembrar, além de Rosberg, outro representante da fria Finlândia faturou dois títulos na F 1, ele é Mika Hakkinen.
Postar um comentário