terça-feira, 28 de agosto de 2007

Bate-papo:Veículos com bloqueadores, e acidentes no trânsito, é o Governo fugindo das obrigações!

Não é só de lançamentos de veículos que vive o setor automotivo. Nestas duas últimas semanas, aconteceram dois eventos importantes para o segmento.
O primeiro foi no WTC, aqui em São Paulo, o Seminário da Reposição Automotiva Independente, promovido pelas principais entidades do setor: Sindipeças, Andap, Sicap, Sincopeças e Sindirepa-SP e organizado pelo Grupo Photon.
Lá assuntos importantes foram debatidos, e alguns números expostos impressionam, por exemplo: levantamento feito em 2005 mostrou que 45.5% da frota circulante no Brasil têm mais de 100.000 km rodados, e 96% deste total com mais de 10 anos de uso. Também foi falado que 75% dos veículos que circulam no País têm algum problema para ser resolvido. O DSV levantou que, diariamente cerca de 900 veículos quebram nas ruas de São Paulo, o que ajuda a deixar nosso já movimentado trânsito ainda mais conturbado.
E muitos destes problemas poderiam ser solucionados, caso o proprietário do veículo fizesse a manutenção preventiva, ou seja, trocar as partes de maior desgaste, antes que elas quebrem.
Para ensinar o usuário a aprender esta pratica, foi lançado o projeto: “Carro 100%”.
Ele consiste em uma série de ações que serão divulgadas na mídia para ensinar como e quando realizar a manutenção preventiva. Uma ótima iniciativa que com certeza, ajudará a melhorar o tráfego nas grandes cidades, e contribuir para reduzir o número de acidentes no trânsito.
Nestes anos em que trabalho como jornalista do setor automotivo, cansei de entrevistar motoristas que não fazem a manutenção do veículo por desconhecer a necessidade. Pensam que no carro é só abastecer e ir embora, e quando menos esperam, ele para e o prejuízo é grande, pior ainda quando causa acidente.
Na minha modesta opinião, ensinar a fazer a manutenção preventiva é uma obrigação do Governo, ou seja, quando a criança começa a ser alfabetizada, e tem as primeiras noções sobre legislação de trânsito, já deveria ser passada a informação que é preciso cuidar de um veículo. Mas como nos últimos tempos percebemos que o Governo está falido, legisla de maneira pobre, e com febre de arrecadação, mas quando o cidadão precisa do retorno do que pagou, leva uma banana – falo isso porque os cidadãos de bem pagam seus impostos de maneira correta, e quando necessitam de um hospital, ou escola, tem que ir para os privados porque o Estado não oferece serviço digno -, esperar que se fale nas escolas sobre manutenção preventiva é puro sonho.
Então mais uma vez a iniciativa privada se mobiliza para prestar serviço à população, ou seja, atuar onde o governo é incompetente, e sem desconto nos impostos.
Mas no começo desde bate-papo, falei que foram dois eventos, pois bem, o segundo foi promovido pela Mecânica de Comunicação, agência do Enio Campoi, para seu cliente Sat Company, empresa especializada em rastreamento e bloqueio de veículos. E o assunto, mais uma vez serve para mostrar a incompetência do Governo: A partir de 2009, todas as montadoras são obrigadas a colocar em seus veículos o rastreador e bloqueador, para evitar roubo, ou furto.
Mas quem paga a conta?
Isso mesmo o consumidor.
Primeiro porque o aparelho terá um custo, o qual recebe imposto em cascata desde sua origem, e conseqüentemente aumentará o valor cobrado pelo veículo.
Outro problema, segundo os especialistas em instalação do equipamento, há poucos locais para ser colocado, e provavelmente as montadoras na linha de montagem, usaram um só lugar para instalá-lo.
E aí o gatuno pode comprar um carro zero, desmontá-lo e descobrir onde está localizado o sistema de segurança, descobriu de um vale para todos!
Mas a Lei ainda mostra muitas brechas, pois não se sabe ainda qual será o critério para escolha do fornecedor, a tecnologia que será empregada, entre outras dúvidas. Mas a principal, é que fere o direito do consumidor, pois será incorporado em seu carro, um item que ele não escolheu, e vai ter que pagar por isso. O consumidor terá a opção de ativar ou não, mas terá que pagar pelo equipamento sem saber nem se vai usar!
E digamos que a Lei seja realmente aprovada, será que os ladrões não voltarão suas forças para roubar os mais antigos, até seminovos porque sabem que não terão tanto trabalho?
São muitas as dúvidas que envolvem o tema, e devem ser esclarecidas.
Não podemos esquecer que os impostos pagos pelos cidadãos são para custear saúde, educação, segurança! E neste quesito nosso governo deixa muito a desejar é um péssimo gerente e deveria ser demitido há muito tempo.
Como resolver?
Já passou da hora de cobrar do vereador, deputado estadual e federal, senador, governador e presidente. Lembrá-los que o nosso dinheiro é para ser bem usado, em nosso benefício e não para pagar mensalão, pensão de ex-amante..., e outros desmandos que assolam nosso imenso Brasil
!
Postar um comentário