sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Avaliação: Idea 1.4 Flex

Lançado na Europa em 2004, o monovolume da Fiat recebeu no Brasil modificações para adaptar-se as necessidades locais e transformou-se em um sucesso de vendas
Texto: Edison Ragassi
Fotos: Valeria Matias
Projetado pelo designer Giorgetto Giugiaro, o Fiat Idea foi concebido na Itália e lançado na Europa no início de 2004.
Não demorou muito -para ser mais preciso, em setembro de 2005-, a novidade chegou ao Brasil. O veículo chama a atenção pelo desenho de linhas arrojadas.
Na dianteira, a grade é cromada e pára-brisa inclinado. A traseira tem as lanternas colocadas na posição vertical e os vincos suaves aparecem na parte superior do pára-choque pintado na cor da carroceria.

Os engenheiros se empenharam para oferecer ao usuário um interior confortável e funcional, tanto que possuí 20 porta-objetos (quatro no teto, dois porta-luvas, vários porta-copos, entre outros).
Tanto motorista, como passageiros são acomodados em posição elevada, e entre as soluções desenvolvidas para conforto estão os assentos traseiros demarcados com encosto de cabeça, mesinha tipo avião, acoplada no
encosto do banco dianteiro do passageiro e assoalho traseiro plano, que proporciona bom espaço para as pernas.
Para empurrar a minivan, o comprador pode escolher entre as duas opções de motorização, ambas bicombustível, 1.4L Flex (80 cv/gasolina e 81 cv/álcool) e 1.8L Flex (112 cv/gasolina e 114 cv/álcool).
Comercializada em duas versões: ELX e HLX, em maio de 2006 a Fiat já colocou à venda o modelo 2007, onde a ELX 1.4 Flex recebeu em sua lista de equipamentos de série barras longitudinais no teto, frisos laterais, maçanetas e retrovisores na cor do veículo e revestimento em preto nas colunas das portas. Já a HLX, topo de linha, traz em sua lista de série ar-condicionado, vidros
laminados nas portas, bancos revestidos em veludo com descansa-braço para o motorista, espelhos retrovisores com ajuste elétrico, painel de instrumentos bicolor, entre outros.
Na lista de opcionais figuram o Skydome (o teto solar elétrico que ocupa 70% da área superior do veículo), viva-voz para celular com tecnologia Bluetooth, CD player com MP3, sensores crepusculares, de chuva e estacionamento.
E ainda no mês de setembro do ano passado, a família cresceu com a chegada da Idea Adventure, uma versão robusta feita para os ‘aventureiros urbanos’.
O sucesso em vendas é confirmado por representantes do mercado independente, pois já existe a procura pelo modelo seminovo.
Segundo Paulo Ferreira, diretor da Auto Vyp, os modelos equipados com motor 1.4L são uma ótima opção para quem procura um veículo com características urbanas, “não é lento como o 1.0L e também
não consome tanto combustível, e no caso do Idea ainda oferece muito espaço”, comenta ele.
Paulo também acredita que o Fiat Idea agrada os consumidores do Classe A, já que o monovolume da Mercedes Benz deixou de ser produzido no Brasil, “o Classe A importado é muito mais caro, assim quem gosta de um veículo alto, espaçoso, ágil na cidade e rápido quando vai para a rodovia, encontra no carro da Fiat uma ótima opção com bom preço”.
Ele também acredita na força da marca Fiat, a qual, “agrada o consumidor, principalmente do sexo feminino, também acho que a partir do próximo ano teremos maior oferta no segmento independente, de um carro que gerará boa lucratividade”, complementa o diretor.
Consumidor aprova
Em novembro de 2005 o comerciário Eduardo Caetano, impulsionado pela necessidade de ter um carro maior, optou pelo Idea. “Nem fiz test-drive, pois conheço os carros fabricados pela Fiat, escolhi a minivan por ser bonita e versátil”, declara.

Passado 10 meses, o veículo enfrentou a primeira revisão, “os itens trocados foram os recomendados no manual”. Mas Caetano passou por um inconveniente, antes da revisão recomendada pela fábrica, “aconteceu um problema na bomba de combustível quando estava com 11.800 km, levei até a concessionária, e lá eles substituíram a peça sem custo”, lembra.
Caetano divide o uso da minivan com a esposa, “ela gosta da altura do carro, regulagens, posição de dirigir, porta-objetos, eu aprovo o desempenho”, explica.
Outra compradora do carro que também aprova os atributos do monovolume da Fiat é a pedagoga Maria Aparecida Marckezini. Ela adquiriu o Idea em abril do ano passado.
A ‘professora Cida’, como é conhecida entre seus alunos, tinha um Palio, o qual passou para o filho. “Eu procurei outros modelos, mas depois que conheci o Idea não saiu da cabeça”, lembra ela.
Por tratar-se de um veículo novo, a pedagoga antes fechar negócio pesquisou, “procurei na Internet informações de usuários, como a maioria das opiniões foram positivas, decidi pela compra”, afirma.
E o que atraiu a consumidora foi o design, “é diferente dos outros modelos existentes no mercado, é lindo e bem funcional”.
Ela também elogia o espaço interno, e a dirigibilidade, pois logo após comprar viajou até Santa Catarina, “a viagem foi tranqüila, ele tem bom desempenho na rodovia”, comenta.

Já no uso diário Maria Aparecida, também aprova, só faz uma ressalva, “quando há um passageiro no banco dianteiro, o retrovisor direito não oferece boa visibilidade”, completa.
O modelo emprestado pela Fiat para esta avaliação do Auto Agora foi o ELX 1.4L Flex topo de linha.
Usa o mesmo motor que equipa o Palio Hatch e Weekend, porém com uma diferença: a perua pesa 1.091 kg, já a Idea tem 1.180 Kg. Apesar do peso ser maior, ele mostrou-se esperto. Arranca rápido, e mantêm o fôlego.
As relações de trocas das marchas são curtas, mas precisas, e a posição de dirigir também agrada, pois o ajuste de banco e encosto é feito de maneira simples.
Acredito que um motorista com estatura menor que 1.80m vai gostar ainda mais, pois a visão é privilegiada.
A calibragem da suspensão também corresponde de maneira positiva, mas exige algum cuidado ao ultrapassar uma lombada, pois o carro pode saltar e causar desconforto aos passageiros.

Na rodovia mantém-se estável mesmo ao enfrentar uma curva mais fechada, e exige troca de marcha quando encara um terreno mais íngreme.
É um carro que agrada, no uso urbano, pois oferece várias opções para transportar cargas, vai da escola para o supermercado ou shopping com muito conforto.
O preço sugerido para venda do modelo básico, cor sólida é de R$ 41.790. Equipado com todos os opcionais chega a R$ 63.796. E para incorporar o teto solar, o interessado no Fiat Idea 1.4 Flex terá que desembolsar R$ 5.331e mais R$ 828 na pintura metálica.
Ficha técnica Fiat Idea 1.4 Flex ELX
Motor
Transversal, dianteiro, 4 cilindros em linha
Cilindrada 1.368 cm³
Taxa de compressão 10,35:1
Potência máxima 80 cv / 5.500 rpm (gasolina) - 81 cv/ 5.500 rpm (álcool)
Torque máximo 12,2 kgm / 2.250 rpm (gasolina ) – 12,4 kgm / 2.250 rpm (álcool )

Nº de válvulas por cilindro 2
Ignição tipo eletrônica digital incorporada ao sistema de injeção com Drive by Wire
Injeção Eletrônica Bosch multiponto seqüencial
Tração dianteira com juntas homocinéticas
Transmissão manual 5 marchas à frente e uma à ré
Sistema de freios
De serviço Hidráulico com comando a pedal. (ABS opcional)
Dianteiro A disco ventilado com pinça flutuante
Traseiro A tambor com sapatas autocentrantes e regulagem automática
Suspensão dianteira
Tipo Mac-Pherson com rodas independentes, braços oscilantes inferiores transversais e barra estabilizadora
Amortecedores Hidráulicos, telescópicos de duplo efeito
Elemento elástico Molas helicoidais
Suspensão traseira
Tipo Com rodas semi-independentes e eixo de torção de seção aberta
Amortecedores Hidráulicos, telescópicos de duplo efeito
Elemento elástico Molas helicoidais
Direção
Tipo Hidráulica com pinhão e cremalheira
Diâmetro mínimo de curva: 10,5 m
Rodas
Aro 5,5 x 14", aço estampado (opc. 6,0 x 15” em liga leve)
Pneus: 175/70 R14 (opc. 195/60 R15)
Peso: 1.180 Kg
Dimensões
Comprimento: 3.931 mm
Largura: 1.698 mm
Altura: 1.680 mm
Distância entre-eixos: 2.511 mm
Altura mínima do solo:150 mm
Compartimento para bagagem: 380 litros/1.500 litros (banco totalmente rebatido)
Tanque de combustível: 48 litros
Postar um comentário