domingo, 13 de janeiro de 2008

Mercado

Otimismo em cadeia
Em todos os segmentos do setor automotivo a expectativa é de que 2008 repita os resultados positivos obtidos em 2007

A Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) foi a primeira entidade a divulgar o balanço de 2007. Sérgio Reze, presidente da entidade, mostrou muito otimismo ao divulgar os resultados do ano passado, e projetar o período que está iniciando.
No período passado, as vendas de autoveículos (automóveis e comerciais leves) somaram 231.314 unidades em dezembro, o que representou crescimento de 2,46% comparado a novembro, e alta de 18,05% em relação a igual período de 2006.
No ano passado, as vendas dos dois segmentos totalizaram 2.342.059 unidades, o que representa expansão de 27,80%.
A média diária de vendas de automóveis novos foi de 9.851 unidades, o que representa uma expansão de 27,8% em relação à média diária de 2006.
As vendas de caminhões somaram 8.937 unidades em dezembro, uma queda de 5,49% sobre novembro e crescimento de 22,06% ante igual período do ano anterior. Oacumulado do ano registrou expansão de 30,22%.
As vendas de ônibus subira 8,25% em dezembro em relação a novembro, e totalizou 2.007 unidades. Na comparação com igual mês de 2006, houve um crescimento de 30,83%. No ano, o segmento de ônibus registrou avanço de 15,39%, totalizando 22.151 unidades.
Já para a produção o ano de 2007 foi recorde histórico da indústria automotiva. Com um grande sorriso no rosto, o presidente da Anfavea (Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores), Jackson Schneider, ressaltou que, entre as razões para o bom desempenho do setor no ano passado, esta a expansão do volume de crédito, redução dos juros, o cenário macroeconômico favorável e o aumento da renda e do emprego, que resultaram em maior confiança do consumidor.
O crescimento do setor, segundo o executivo, é consistente, uma vez que a inadimplência de novembro era de 3,1%, ou seja, menos da metade da taxa de inadimplência dos bens duráveis e de consumo, que é de 7,1%.
Segundo dados da Anfavea, os estoques totais da indústria e das concessionárias em dezembro eram de 129.347 unidades, o que corresponde a 17 dias de vendas. Apesar de o número ser menor do que o registrado no final de novembro, quando havia estoques de 152.846 veículos, ou 20 dias de vendas, Schneider considerou normal, uma vez que as concessionárias estão se preparando para disponibilizar modelos de 2008.
No total, a indústria automotiva brasileira somou 2.611 veículos produzidos. Isso representa crescimento de 13,9%, comparado a 2006.
E para o período que está começando, a expectativa é de que o mercado continue aquecido, a entidade projeta crescimento de 8,9% em autoveículos e 9,5% para máquinas agrícolas.
Postar um comentário