terça-feira, 25 de março de 2008

F-1 GP da Malásia

Massa, o coelho da Páscoa
No GP da Malásia, podemos fazer alusão à data comemorativa de domingo passado a Páscoa, pois diz a lenda que o animalzinho distribui presentes, os ovos de chocolate na noite de sábado para domingo.
Isso porque na primeira parada para troca de pneus e reabastecimento, ficou claro que a Ferrari traçou a estratégia para que Felipe Massa fosse o ‘coelho’ e entregasse o presente, no caso a vitória, ao finlandês Kimi Räikkönen.
O brasileiro levava no tanque menos combustível que o finlandês, tanto que sua parada foi 6 décimos de segundo mais lenta que a do atual campeão mundial. Este tempo foi suficiente para que Kimi assumisse a ponta, mas o detalhe que me leva a afirmar que Massa não ganharia a corrida é a diferença de performance.
Enquanto Kimi estava na segunda posição, ele mantinha uma segura distancia de 1.9 segundos do líder. Quando ultrapassou, a diferença para Massa subiu, foi a 4.4 segundos. Assim é fácil entender, porque a dobradinha vermelha seria com Kimi em primeiro e Massa em segundo.

Mas infelizmente para a torcida brasileira, nem a segunda posição foi possível, pois o brasileiro rodou na 30ª volta e ficou parado na caixa de brita.
E aí ficou no ar a pergunta: Felipe errou, ou foi problema no carro?
Só o brasileiro e a Ferrari sabem!
Em minha opinião ele errou sim, pois foi buscar o limite do monoposto nº 2, para não deixar o finlandês abrir e assim continuar com a esperança de vitória.
Só que nesta temporada os carros estão bem mais ariscos sem o controle de tração, e Massa ainda não está acostumado com estas reações.
Agora ele será pressionado, mas nada diferente do que já esta acostumado dentro da Casa de Maranello. O brasileiro tem que dar a volta por cima e conquistar vitórias, quem sabe uma seqüencia tripla. Assim levanta a alto-estima dentro do time e confirma que tem capacidade para lutar pelo titulo. Confio no Massa, e você?

Como falamos dos brasileiros, já ouvi muitas criticas dirigidas a Rubens Barrichello.
Concordo com aqueles que criticam o fato de ele entrar nos boxes, acima do limite de velocidade permitido. Um piloto experiente como ele não pode cometer este tipo de erro. Barrichello afirmou que não conseguiu ver a linha, assim como na etapa passada, não viu a luz vermelha. Será que Rubinho precisa usar óculos?
No mais, fez o que o carro permitiu. Comparado com o ano passado, os monopostos da Honda mostram evolução. Ainda não é possível brigar entre os primeiros, mas se continuar assim pode terminar o ano em uma posição bem mais confortável que a da temporada passada, e com muitas chances de permanecer no time. Agora se os japoneses não quiserem, Rubens deve se aposentar.

E Nelsinho Piquet poderia ser um pouco mais ousado. Talento ele tem, falta recuperar o timing de corrida, perdido o ano passado por passar uma temporada inteira só testando. Piloto precisa competir. Programa de testes só faz com que aprenda a conhecer e acertar o carro, o bater de rodas para disputar uma posição, só se aprende na pista e na raça!
Falta isso ao jovem brasileiro com sobrenome de campeão.

Ainda vale destacar que o resultado poderia ser outro, caso a McLaren não fosse punida.
Depois de marcar terceiro e quarto lugares respectivamente, Heikki Kovalainen foi rebaixado para a oitava posição lugar no grid, logo à frente de Lewis Hamilton.
Eles atrapalharam os demais concorrentes na volta de desaceleração, após a classificação. Lewis, durante a corrida, perdeu muito tempo na sua primeira parada porque a calota de uma das rodas ficou presa. Mas no final beliscou a quinta posição, suficiente para se manter na liderança da competição, e Kovalainen subiu ao podium na terceira colocação.

Ainda para este começo de temporada, vale destacar o bom trabalho da BMW-Sauber, já que Robert Kubica foi o segundo e Nick Heidfeld o sexto.
Também somaram pontos, o quarto Jarno Trulli (Toyota), o sétimo Mark Webber (Red Bull), e Fernando Alonso (Renault), oitavo colocado.
Ainda falta atingir o ponto de equilíbrio esperado pela FIA, após eliminar os dispositivos eletrônicos, ou seja, varias ultrapassagens.
A próxima etapa será dia 6/04 no Bahrein, vamos ver qual será o comportamento de equipes e pilotos em uma pista, no meio do deserto, cheia de areia, e sem controle de tração.
Aceleradas
Gênio indomado
“Eu estou feliz por ter terminado esta corrida, este era meu primeiro objetivo após a corrida em Melbourne. Eu aprendi bastante hoje e com o empenho da equipe nós vamos brigar com mais competitividade e você pode acreditar que faremos corridas perfeitas...”. Este é parte do comunicado distribuído à imprensa, sobre a participação de Nelsinho Piquet, após terminar na 11º posição. E Piquezinho, ao velho estilo ranzinza do pai, não falou com os jornalistas. Fim.
Infelicidade
“A penalidade depois do meu segundo pit stop foi uma infelicidade, mesmo que eu perdesse só uma posição na corrida. As marcas de indicação no pitlane com o fim da área de velocidade não são claras como parecem”, comunicou Barrichello. “Meu fim de semana foi comprometido com a perda do treino livre do sábado, onde tive de acertar o contrapeso do meu carro para a corrida”. A declaração de Rubinho, também foi feita via assessoria de imprensa.
Acertos nas regras
A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) solicitou mudanças no último período da sessão de classificação dos Grandes Prêmios de Fórmula 1. A medida foi tomada para evitar incidentes como o ocorrido no sábado, com carros rodando a muito baixa velocidade na pista e outros fazendo sua volta. A partir de agora, haverá um tempo mínimo. Quem exceder isso, será punido.
Postar um comentário