quarta-feira, 21 de maio de 2008

Mercado de veículos: O céu é o limite

Produção e vendas superam projeções
Mais de 300 mil veículos fabricados em abril, e outros 800 mil transferidos, é o Brasil entre os maiores produtores de automóveis do mundo

Na sexta-feira 9 de maio, mesmo dia que a cidade de São Paulo viveu o maior índice de congestionamento de sua história (262 km alcançados às 19h00), a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), divulgou e comemorou a maior produção de autoveículos em só mês: 300.600 unidades. O número foi registrado em abril, o que elevou o acumulado do ano para 1.087.300 unidades, contra 880.202 unidades produzidas entre janeiro e abril de 2007, o que representa crescimento de 23,5% entre um ano e outro.
Jackson Schneider, presidente da entidade, acredita que o crescimento é sustentado, “a estimativa de taxa de juros é confortável, o Banco Central tem dado mostra de competência, o que nos leva a crer que até o final deste ano teremos boas surpresas”, declarou.
Mas se o mercado interno está aquecido, o mesmo não se pode falar das exportações, que em abril, somaram US$ 1,27 bilhão, alta de 10% em relação a março e de 24,3% sobre abril do ano passado. Em unidades, foram exportados 65.300 veículos montados e CKD, incluindo máquinas agrícolas. Isso representa uma pequena alta de 1,3% se comparado a março e de 10,3% frente abril de 2007. Nos quatro primeiros meses do ano, as exportações somaram US$ 4,53 bilhões, alta de 16,3% sobre o mesmo período do ano passado. Em unidades, o crescimento foi pequeno, apenas 1,7% ou 245.400 unidades.
No mesmo ritmo da indústria, o setor de distribuição de veículos também cresceu no primeiro quadrimestre. Foram comercializados 1.548.519 unidades, contra 1.191.814 no mesmo período de 2007, ou seja, uma elevação de 29,93%. “O resultado mostra que o consumidor continua confiante na economia do País, assumindo, assim, compromissos como o financiamento de veículos”, afirmou Sérgio Reze, presidente da Fenabrave. De março para abril, as vendas do setor também evoluíram positivamente. Foram negociadas 444.604 unidades, contra 390.598 unidades do mês de março, o que representa crescimento de 13,83%.
E no segmento de duas rodas, os fabricantes de motocicletas registraram um acumulado de 730.994 unidades produzidas neste primeiro quadrimestre. Estes resultado representa crescimento de 26,3%, ao serem comparados às 578.612 do mesmo período do ano passado.
Só em abril, saíram das linhas de montagem das empresas instaladas no Pólo Industrial de Manaus 190.792 novas motocicletas, um aumento de 34,3%, em relação a abril do ano passado, quando foram produzidas 142.017 unidades. Se comparado a março de 2008, que registrou a fabricação de 184.790 motocicletas, a produção apresenta um incremento de 3,2%. As vendas no mercado interno também apresentam resultados positivos. Foram comercializadas 181.455 motocicletas um aumento de 36,1% se comparado aos 133.320 registrados em abril do ano passado. Um aumento de 4,1% também pode ser observado em relação ao mês de março onde foram vendidas 174.256 novas motocicletas.
Segundo o presidente da Abraciclo, Paulo Shuiti Takeuchi, o país desponta como um dos cinco principais produtores mundiais de motocicletas, no entanto é muito importante manter o crescimento sustentável. “Ações responsáveis, investimentos e políticas de qualidade, durabilidade e suporte técnico aos produtos são primordiais para vislumbrarmos o desenvolvimento do setor”, afirmou.
Transferências de usados e seminovos ultrapassam 3 milhões
Pouco comentado, mas com muita força e importância nos negócios está o segmento de vendas de veículos usados e seminovos.
Neste primeiro quadrimestre, o número de transferências somou 3.013.614 unidades. Ano passado, entre janeiro e abril foram transferidos 2.750.334 veículos, a variação positiva registra 9,57%.
Ainda segundo os dados da Fenabrave levantados junto ao Denatran, o mês de abril totalizou 803.649 veículos transferidos, contra 720.949 somados em março. Isso representa aumento de 11,47% entre um mês e outro. Já se compararmos abril de 2008, com abril de 2007, o crescimento é de 20,22%.
Bom momento também para os importados
O balanço do quadrimestre divulgado pela Abeiva (Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores, Jörg Henning Dornbusch), entidade que reúne BMW, Effa Motors, Ferrari, Kia Motors, Maserati, Pagani, Porsche e Ssangyong, mostrou que seus associados fecharam o primeiro quadrimestre de 2008 com vendas de 7.725 unidades, no atacado. Esse volume significa um crescimento de 224% sobre igual período de 2007, quando foram comercializados 2.382 veículos, e no varejo, a alta foi de 247%, já os emplacamentos subiram 242%.
No mês de abril, as oito empresas anotaram vendas de 2.380 unidades, no atacado, 14,81% maior que março último (2.073 veículos). Comparado ao desempenho de abril de 2007, quando foram alcançadas 601 unidades, o aumento foi de 296%.
Estes resultados do primeiro quadrimestre de 2008 permitiram à Abeiva aumentar sua participação tanto no mercado total de automóveis como no segmento de importados, respectivamente passando de 0,36% (2007) para 0,85% e de 4,4% para 7,3%.
Na avaliação de Henning Dornbusch, presidente da entidade, “quando as vendas no atacado, no varejo e nos emplacamentos se apresentam com taxas de crescimento equânimes, significa que toda a cadeia de importação e o setor automotivo estão indo bem”, avaliou.
Neste ritmo frenético, caso a média de produção, importação e vendas permaneçam nestes patamares, podemos projetar no final deste ano mais de 4 milhões de veículos produzidos, e outras 12 milhões de transferências.
Quem viver verá!
Postar um comentário