quarta-feira, 25 de junho de 2008

Ford Caminhões mostra linha 2009

O caminhão pesado Cargo 6332e, junto com o F-4000 4x4 são as novidades que chegaram para completar a linha Cargo e Série F
Texto: Edison Ragassi
Fotos: Divulgação

Em São Paulo, a Ford Caminhões apresentou para a imprensa especializada a linha 2009 de caminhões. O pesado Cargo 6332e 6x4, segundo divulgado pela montadora, recebeu nova suspensão reforçada e pneus apropriados, o que garantem um peso bruto total técnico para 30,5 toneladas, com peso bruto total combinado de 56 toneladas e capacidade máxima de tração de 63 toneladas.
Nos outros modelos que compõe a linha, foi introduzido um novo pacote acústico e bancos com suspensão a ar, além da eliminação da janela traseira.


E a Série F ganhou visual mais moderno, o qual segue a identidade visual adotada na F-250. Além dessa modificação, a principal novidade é o F-4000 com tração 4x4.
A mudança de tracionamento é feita por chave de troca 4x2/4x4. O equipamento foi incorporado para dar maior versatilidade ao veículo ao ultrapassar terrenos difíceis e fora-de-estrada, como: fazendas, minas e canteiros de obras. Ele tem peso bruto total de 6.800 kg e é equipado com motor Cummins B3.9 120 Turbodiesel Aftercooler, de 120 cv de potência e 45 kgfm de torque.
Este lançamento chega em um momento importante para a Ford, pois, recentemente anunciou crescimento nas vendas, e para atender a demanda, introduz o segundo turno de produção na sua fábrica em São Bernardo do Campo (SP), a partir de 2009.
O crescimento do processo inflacionário faz com que os executivos da multinacional fiquem atentos, mas não desestimula o planejamento, “os aumentos nos preços de matérias primas como o aço ainda não foram repassados, temos margem para negociação, e se persistirem estes reajustes, vamos ter que rever os preços para o consumidor final, mas isso não acontecerá só com a Ford, afetará também os concorrentes”, explicou Oswaldo Jardim, diretor de Operações da Ford Caminhões América do Sul.

Se por um lado a pressão inflacionária e taxa de câmbio preocupam, por outro, as perspectivas de crescimento no mercado interno são otimistas, principalmente no setor de serviços e manutenção. “Recebemos vários pedidos de revendedores para ampliação das oficinas, e isso é conseqüência direta do crescimento em vendas da marca”, explicou Cláudio Terciano, gerente nacional de Vendas e Marketing da Ford Caminhões.
A operação de caminhões da Ford para o Mercosul está centralizada no Brasil. Em 2007 a montadora vendeu 32.905 caminhões na América do Sul, volume 10% maior que em 2006, e obteve uma participação de 19% no mercado sul-americano.

Em 2008, até maio, já soma mais de 16.000 unidades, que correspondem a um crescimento de 22% sobre igual período do ano passado e uma participação de 19,5%, ou seja, meio ponto percentual a mais em relação a 2007.
Como principal destaque a Ford mostra presença forte na Venezuela, onde detém 43% do mercado.
No Brasil, as vendas no varejo cresceram 31% em 2007 e totalizaram 19.000 unidades, que lhe deram uma participação de 20%, segundo os números do Renavam. Neste ano, até maio, suas vendas aumentaram mais 7,7% em comparação com o mesmo período de 2007 e somaram 8.000 unidades, que correspondem a uma participação de 17,7%. No entanto, quando se exclui dessa conta os extra-pesados, segmento do qual a marca não participa, a sua fatia sobe para 23%.
Postar um comentário