segunda-feira, 30 de março de 2009

GP da Austrália:Não foi blefe!

Para acabar com as especulações, a estreante Brawn GP foi a mais rápida nos treinos, largou na frente e faz dobradinha na Austrália, mas Rubinho...

Certo que existe uma grande polemica sobre os difusores de ar usados por Brown GP, Williams e Toyota. Mas mesmo assim, quando começaram os treinos para o GP da Austrália, o que se viu foi a estreante Brawn GP dominar de maneira consistente e marcar os melhores tempos. E o nosso Rubens Barrichello, na maioria das vezes andou na frente do companheiro Jenson Button, mas na hora que realmente valia, durante o Q3, Rubinho não conseguiu ser tão rápido e deixou Button marcar a pole.
Pior ainda foi a largada do brasileiro, o câmbio do carro 21 entrou em ponto morto, ele demorou para sair, o que causou uma verdadeira lambança. De segundo ele caiu pra sétimo, foi tocado por Heikki Kovalainen (McLaren) e Mark Webber (Red Bull), e quebrou a asa dianteira de seu carro. Mesmo assim manteve-se na pista até a primeira parada.
Por ter que trocar o bico, Barrichello fez um longo pit, mais de 20 segundos, e isso comprometeu qualquer chance que ele poderia ter de vitória.
Já o inglês Button, pilotou como campeão. Manteve a ponta na largada, andou forte, não deu chances aos adversários nem de chegar perto, e assim venceu a corrida.
Os outros brasileiros não foram bem. Felipe Massa saiu na sexta posição, porque Trulli e Glock da Toyota foram punidos, os comissários detectaram que as asas traseiras dos carros moviam-se mais que o permitido. Massa até largou bem, teve problemas com a estratégia de paradas, mas mesmo assim chegou a brigar pela terceira posição. Só que o bólido vermelho não aguentou e Felipe abandonou na volta 45.
E Nelsinho Piquet fez um treino apagado, não conseguiu passar do Q1, só largou na 14ª posição porque tanto Hamilton (McLaren), quando os pilotos da Toyota foram punidos.
Na corrida, Nelsinho passou bem pelos acidentes do começo, foi beneficiado pela entrada do safty car, após o acidente de Kazuki Nakajima (Williams), mas na relargada os ‘freios ficaram doidos’, segundo o próprio piloto, ele escorregou e foi parar na caixa de brita quando já estava na sétima posição.
Outro lance foi fundamental para o resultado final. Faltando três voltas para o termino, Sebastian Vettel (Red Bull) foi atacado por Robert Kubica (BMW). O alemão endureceu, o polonês já havia passado, mas Vettel tentou se recuperar e os dois bateram. Não queriam mais ultrapassagens? Os jovens lobos estão buscando isto, porém, acidentes acontecem.
E aí surgiu um Rubens Barrichello, que estava na quarta colocação, e terminou a prova em segundo, seguido por Jarno Trulli, Este foi ao podium, participou da coletiva, mas foi punido porque ultrapassou o inglês Lewis Hamilton (McLaren), quando o safety car estava na pista.
Percebeu que até aqui não falei do inglesinho sensação das duas ultimas temporadas e atual campeão? Pois bem, não tem muito o que falar. A McLaren enfrenta problemas de estabilidade com o carro. Para piorar o câmbio quebrou durante os treinos, ele precisou trocar, e foi para o final do grid. Beneficiado pelos abandonos, como fez uma corrida conservadora herdou a terceira posição do italiano.
Depois de assistir a primeira etapa da temporada 2009 da F-1, dá para tirar algumas conclusões. O tão falado sistema Kers não ajudou os times a terem melhor desempenho. A volta dos pneus lisos (slick) deixaram os carros bem mais ariscos, o que exige muita atenção e concentração dos pilotos. Ainda é cedo para dizer que foi estabelecida uma nova ordem de forças na F-1, ou seja, McLaren e Ferrari não são mais as favoritas, e a estreante Brawn GP, junto com Toyota, Williams, BMW e Red Bull darão cartas. E, por fim, a Braum GP não blefeu nos testes, e Rubens Barrichello tem que dar o troco, fazer pole e vencer no próximo domingo dia 05/03 no GP Malásia, caso contrario, Button será alçado ao lugar de primeiro piloto, pois o dono e principal engenheiro é inglês, assim como o restante do time e o patrocinador.
Rapidinhas
Rápido e resistente
Barrichello sofreu dois toques logo no inicio da corrida, sua preocupação era que o carro não resistisse. "Me acertaram forte por detrás (do carro) na primeira curva, e eu achei que minha corrida tinha acabado, ainda bem que o carro sobreviveu e eu pude batalhar meu caminho até o quarto lugar e estar na posição de tirar vantagem do acidente entre Vettel e Kubica. Isso só mostra que você nunca deve desistir", afirmou o brasileiro na coletiva, após a prova.
Muito trabalho
A Ferrari teve o abandono de Felipe Massa e Kimi Raikkonen chegando na 16ª posição. Muito ruim para quem é um dos favoritos ao titulo."Na largada estava ótimo, mas após seis voltas nós tivemos muitos problemas com os pneus moles e não havia o que melhorasse". Mas agora fica a pergunta, o que fazer para buscar a recuperação? Massa responde: "Trabalhar e trabalhar duro. Acredito que a gente estará na briga com a Red Bull e a Toyota. A Brawn não precisa nem citar que está fazendo outro campeonato".
O problema é, como será este trabalho? Só para lembrar: nesta temporada não estão permitidos testes de desenvolvimento.
US$ 50mil a menos
Considerado culpado pelo acidente que tirou o polonês e o próprio Vettel da corrida, o piloto da Red Bull explicou o que aconteceu. “Estávamos em segundo e em uma situação muito boa, mas depois, a duas voltas para o final, sofri um estúpido acidente com Robert. No momento que comecei a curva, estava na frente, mas não pude manter a velocidade na curva e Robert, que tinha o pneu mais duro, era muito mais rápido. No momento em que nos tocamos, ele já estava na frente, mas não pude frear, já que meus pneus estavam totalmente gastos". Com explicação ou não, Vettel perderá 10 posições no grid de largada da Malásia, e US$ 50 mil de sua conta corrente, pois este é o valor da multa imposta pelos comissários.
Postar um comentário