quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Lançamentos: Chegou o Honda City

Abertura_2590_2Com proposta urbana, o novo veículo fabricado no Brasil é um sedã compacto Premium com 80% de índice de nacionalização
Em 2005, a Honda Automóveis iniciou a ampliação da fábrica de Sumaré no interior de São Paulo. Ano passado foi inaugurada a área de produção de motores, e isso permitiu a fabricante japonesa lançar mais um produto no mercado brasileiro, o sedã Honda City.
Na apresentação feita para a imprensa especializada em Indaiatuba (SP), no final de julho, os executivos e engenheiros da empresa explicaram que o modelo não é um mini Civic, nem tão pouco um Fit sedã.
Com índice de nacionalização de 80%, o carro usa arquitetura própria, a qual é 5cm maior na LaterAl_2593_2distancia entre os eixos, e 500mm maior no comprimento, se comparado ao New Fit. O comprimento total do City é de 4.400mm com  largura de 1.695mm, e distância entre os eixos de 2.550mm. E partindo de principio de que quem procura um sedã quer espaço no porta-malas, os engenheiros trabalharam bem este quesito, pois a capacidade volumétrica do compartimento de Porta_Malas_2600_2bagagens é de 506 litros. Detalhe, os assentos traseiros são bipartidos, o que serve para ampliar ainda mais o espaço de carga. 
Apesar de Fit e City serem veículos diferentes, eles compartilham o propulsor 1.5L 16V i-VTEC Flex, o qual oferece 116 cv de potência máxima com álcool e 115 cv ao usar gasolina, a cavalaria total esta disponível a 6.000 rpm. Este motor entrega torque máximo de 14,8 kgfm a 4.800 rpm, independente do combustível usado. Motor_2607_2
O City ainda usa a transmissão manual, ou automática (ambas de cinco velocidades), discos de freios e pastilhas, geometria e componentes de suspensão do irmão de marca Fit.
Quando lançou o Fit Flex, inicialmente com motor 1.4L, a Honda usou sistema de injeção eletrônica feito pela Bosch. Nos dias de hoje, o equipamento Flex é produzido no Japão por uma empresa sistemista pertencente ao grupo Honda, e o câmbio automático, também é originário da terra do sol nascente, pois na unidade produtiva de Sumaré só é fabricada a transmissão manual.
O grande destaque do City é seu design. Frente_2591_2Com linhas futuristas, ele foi inspirado em uma flecha pronta para ser lançada de um arco (conceito arrowshot form). Isso fica bem evidenciado na dianteira, pois o conjunto ótico longo invade os para-lamas, eles juntam-se a grade frontal, deixando-a pontiaguda.  
Este efeito é realçando quando o sedã é visto de lateral, partindo o olhar da traseira, a forma de flecha é facilmente identificada.Efeito_Flecha_2578_2 Já a traseira é robusta, as lanternas saem pelas laterais, e o porta-malas é arrebitado para se obter um melhor coeficiente aerodinâmico.
No interior, o painel de instrumentos segue o padrão adotado nos veículos da Honda, mostradores redondos, no centro do velocímetro display com as informações do odômetro total e parcial e computador de bordo, já o volante é igual ao do New Civic. 
Na versão de entrada o City é equipado com: air bag duplo, trio elétrico, alarme, direção com assistência elétrica, computador de bordo, ar-condicionado, banco do motorista com regulagem em altura, banco traseiro bipartido e reclinável, rodas de liga leve de 15 polegadas, toca CD e MP3.
Painel_2601_2 Com transmissão manual o novo sedã da Honda tem preço sugerido de R$ 56.210(LX MT) e R$ 60.010 com transmissão automática (LX AT). A versão intermediaria sai por R$ 61.650 (EX MT) e R$ 65.450 (EX AT), a topo de linha sai por R$ 65.375 (EXL MT) e R$ 71.095 (EXL AT).
A Unidade brasileira da Honda é a oitava no mundo e a primeira nas três Américas, a produzir o Honda City. Até então, apenas países asiáticos (Tailândia, Filipinas, Malásia, Índia, Paquistão e China) e um europeu (Turquia) eram responsáveis por abastecer a demanda mundial pelo produto. Traseira_2592_2 A capacidade de produção é de 4.100 unidades/mês, que, além de atender o mercado nacional, também serão exportadas para México e Argentina. Ficha técnica Modelo LX
Especificações técnicas   
Motor    1.5 SOHC i-VTEC 16V Flex
Cilindrada    1.496 cm3
Potência (cv x rpm) – Gasolina     115 x 6000
Potência (cv x rpm) – Álcool    116 x 6.000
Torque (kgfm x rpm) – Gasolina/ Álcool    14,8 x 4.800
Tração    Dianteira
Transmissão manual de 5 velocidades   
Transmissão automática de 5 velocidades com Shift Hold Control    
Taxa de Compressão    10,4:1
Sistema de injeção multiponto    PGM-FI
Sistema de ignição eletrônica mapeada    O
Pneus    175/65 R15
Estepe em aço    175/65 R15
Rodas de liga leve (pol)    15 x 5,5’ J
Direção com assistência elétrica progressiva (EPS)    O
Suspensão dianteira    McPherson
Suspensão traseira    Barra de torção
Distância entre eixos (mm)    2.550
Comprimento (mm)    4.400
Altura (mm)    1.480
Largura (mm)    1.695
Peso – Transmissão manual (kg)    1122
Peso – Transmissão automática (Kg)    1160
Volume do porta-malas    506 litros
Capacidade do tanque de combustível (L) 42

Postar um comentário