segunda-feira, 14 de setembro de 2009

GP de Monza: E dá-lhe Rubinho!

Barrichello_Comemora_Barrichello vence na Itália e aproxima-se perigosamente de Button na briga pelo título
Não há como negar, uma vitória brasileira na F-1 é algo fantástico! E Rubens Barrichello (Brawn GP) merecia mais esta. A equipe optou por fazer uma só parada, o que muitos consideram de estratégia conservadora. Eu chamo de ousada, isso porque num circuito rápido como o de Monza, o consumo é bem elevado. Rubens também mostrou que o time o respeita, pois queriam que ele trocasse o câmbio, o que faria perder 5 posições no grid, ele não aceitou.
Por conta da estratégia, o brasileiro não brigou pela pole e largou na quinta posição, com seu companheiro e líder do mundial Jenson Button em sexto lugar. A pole ficou com Lewis Hamilton (McLaren). Comprovando as previsões de bons resultados Adrian Sutil (Force India) partiu na segunda colocação, com Kimi Raikkonen (Ferrari) em terceiro e Heikki Kovalainen (McLaren) na quarta colocação.
Ao apagar das luzes vermelhas, Barrichello usou toda a sua experiência para ganhar a posição de Kovalainen, e por alguns metros os dois andaram lado a lado. Mas a qualidade do piloto brasileiro ficou evidenciada por outros detalhes. Rubinho largou com pneus duros e Button usou compostos moles. Rubens_Lider
Mesmo assim, quando o inglês o ameaçava ele respondia sendo mais rápido. Teve a frieza necessária para andar rápido quando os rivais paravam para abastecer e trocar pneus, e assim conquistou na estratégia, a 101ª vitória brasileira em um templo do automobilismo mundial, o circuito de Monza na Itália.
O campeonato ficou bem interessante, Button soma 80 pontos, Barrichello 66, Sebastian Vettel (Red Bull) é o terceiro com 54 pontos, Mark Webber (Red Bull) na quarta colocação soma 51,5 e Kimi Raikkonen (Ferrari) tem 40 pontos. Até Weber, todos têm chances matemáticas de conquistar o título, mas para isso, Button e Barrichello teriam que parar de marcar pontos nas últimas quatro provas, fato improvável.
Mas eu sei leitor que neste momento você deve estar se perguntando: a Brown vai deixar o Rubinho ganhar?
Depois dos acontecimentos envolvendo Nelsinho Piquet, se o brasileiro estiver na frente, eles não irão fazer nada, pois qualquer atitude suspeita vai jogar a credibilidade da F-1 no limbo. O problema que Rubens agora terá que administrar é a falta de corridas, pois ganhando as quatro ultimas etapas ele chega a 106 pontos, e se Button for o segundo vai a 112 pontos. Caso Rubinho e Jenson empatem em total de pontos, aí o inglês leva o caneco pra casa por ter o maior número de vitórias.
Chegada_
Difícil, é mas, não é impossível. Vamos acreditar que toda a sorte de Button no inicio da temporada passou para Rubinho, e assim, quem sabe ainda este ano veremos mais um brasileiro campeão na F-1!
Ainda vale ressaltar que a McLaren e a Ferrari terão papel importante nesta briga, pois vieram pra frente, e a Red Bull está limitada porque tem que economizar motores, e a Renault continua ruim demais, o Alonso vai tirando ‘leite de pedra’.
O GP da Itália, disputado em Monza, pode ser chamado de corrida da estratégia, com Rubinho em primeiro, Button em segundo, Kimi Raikkonen (Ferrari) em terceiro, Adrian Sutil (Force India) na quarta posição, Fernando Alonso (Renault) em quinto, Heikki Kovalainen (McLaren) em sexto, sétimo lugar para Nick Heidfeld (BMW-Sauber), e oitava posição para Sebastian Vettel (Red Bull).
Hamilton137242
Hamilton vinha numa boa terceira posição, errou feio na última volta e bateu, o veterano Giancarlo Fisichella, mas estreante na Ferrari, sentiu a pressão, largou em 14º e terminou na nona posição.
Uma outra página desta história de vencedores e perdedores será escrita dia 27/09 no GP de Cingapura. Minha torcida é toda para Rubinho, você me acompanha?
Rapidinhas
Aos meus filhos com carinho
Barrichello dedicou a vitória conquistada na Itália aos filhos Eduardo e Fernando. Ao sair do carro, o piloto bateu na lente câmera, beijou, com capacete mesmo, a lente e fez um gesto de lançar uma flecha. Mais tarde ele explicou o motivo, “o Fernando fez quatro anos sábado, então foi uma brincadeira com ele”.
Credibilidade abalada
Em entrevista a agência de noticias REUTERS, Patrick Head, co-proprietário da equipe Williams, disse que as alegações de má conduta por parte da Renault e Nelsinho Piquet colocaram em dúvida a credibilidade da Fórmula 1 e a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) deve tomar uma atitude firme. “Se ficar provado que a manipulação é uma prática constante, acho justo que ninguém tenha mais interesse na Fórmula 1 por não acreditar no que vê", disse Head. Alguns acreditam que Nelsinho volta o ano que vem guiando para a Williams. Será?
O retorno do Jungle Boy
O amazonense Antonio Pizzonia quando estreou no automobilismo europeu chamou a atenção e ganhou o apelido de Jungle Boy (menino da selva). Ao chegar à F-1, disputou 20 GPs entre 2003 e 2005, na Jaguar e Williams. Seus melhores resultados foram quatro sétimos lugares, em 2004, ele foi 15º no Mundial, com seis pontos conquistados. Pizzonia estava em Monza e declarou à Rede Globo, “estou aqui sondando algumas coisas, e quem sabe as portas se abrem de novo. Tive experiências fantásticas com a Manor (equipe que correrá na F-1 em 2010), na F-Renault inglesa e na Fórmula 3, onde fui campeão. Mas também estou tentando outras coisas".

Postar um comentário