terça-feira, 29 de junho de 2010

GP Europa: Um desfile com os carros mais avançados do mundo

157274Corrida disputada em Valência deixou claro que a F-1 necessita rever seus conceitos sobre as pistas e a Ferrari precisa aprender a desenvolver carros sem testes
Fotos: Divulgação
Um verdadeiro desfile de monopostos a 300 km/h, assim é possível definir como foi o GP da Europa, disputado nas ruas de Valência na Espanha.
A maior emoção para o público e telespectadores espalhados pelo mundo, aconteceu na hora da largada. Neste momento, os pilotos lutaram por posições, o representante da casa, Fernando Alonso (Ferrari), partiu de maneira agressiva e conquistou o terceiro lugar, seguido de perto por Felipe Massa (Ferrari), que foi para o quarto lugar.
Como já era de se esperar, o pole Sebastian Vettel (Red Bull), manteve a ponta, mas tocou no157276 companheiro Mark Webber (Red Bull), ele foi lá para trás. Na tentativa de recuperar-se, cometeu erro de piloto estreante, calculou errado uma ultrapassagem em cima de Heikki Kovalainen (Lotus), voou, deu um looping, caiu com as 4 rodas no asfalto e acabou com a corrida das Ferraris!
Não que o australiano tenha acertado os carros vermelhos. Com este acidente, o Safety Car entrou na pista e os pilotos aproveitaram para trocar os pneus. Aí o time de Marenallo fez lambança. Chamou os dois pilotos de uma vez para a troca, Alonso entrou primeiro, Massa ficou na fila e os dois voltaram nas últimas colocações. Como, sair de trás e fazer uma corrida agressiva para recuperar posições, não é a do brasileiro, terminou em 14º.
Alonso, sempre mais esperto, acabou na 9ª posição, mas foi beneficiado por punições dadas a 5 pilotos após a prova, pois andaram mais rápido que o carro de segurança e pulou para a 8ª posição. Massa também pulou de lugar, foi para 11º sem marcar nenhum ponto.
Passado o susto do acidente, os pilotos limitaram-se a dirigir pelo circuito, sem tentativas de ultrapassagem, ou sequer uma batidinha de rodas.
A FIA precisa urgentemente rever suas normas de construção das pistas, seja em autódromo, ou nos circuitos de rua. Não dá para ter os carros de corridas mais avançados do planeta, andando em locais sem pontos de ultrapassagem. Ou será que eles estão esperando que alguém coloque molas em baixo dos carros, iguais aquelas usadas pelo Mach 5 do Speed Racer, pois assim o monoposto pula por cima do carro adversário e ultrapassa!
Quem ainda ousou um pouquinho, mas na última volta foi o japonês Kamui Kobayashi (Sauber).157084 Quando todos pararam, ele se manteve na pista, pois largou com pneus duros. Faltando quatro voltas para o final, ele foi obrigado a trocar os compostos. Voltou atrás de Alonso e Sebastien Buemi (Toro Rosso), mas ultrapassou os dois, sendo que a manobra em cima do carro da Toro Rosso foi feita a poucos metros da linha de chegada.
Melhor sorte teve Rubens Barrichello (Williams), ele partiu na 9ª posição e terminou a corrida em quarto. Rubinho também foi punido com 5 segundos no caso do Safty Car, mas não perdeu posições.101140_131371_jfg7935[1]
Após a bandeirada final e o veredicto dos ficais da FIA, marcaram pontos em Valencia:
1º - Sebastian Vettel (Red Bull), 2º - Lewis Hamilton (McLaren), 3ºJenson Button (McLaren), 4º- Rubens Barrichello (Williams), 5º-Robert Kubica (Renault), 6º - Adrian Sutil (Force India), 7º-Kamui Kobayashi (Sauber), 8º- Fernando Alonso (Ferrari), 9º- Sebastien Buemi (Toro Rosso), 10º- Nico Rosberg (Mercedes).
O brasileiro Lucas di Grassi (Virgin) terminou em 17º, e Bruno Senna (Hispania) foi o 20º.
157296 Lewis Hamilton, com 127 pontos lidera a competição, seguido pelo companheiro e atual campeão Jenson Button (121). A vitória alçou o alemão Vettel à terceira posição com 115 pontos.
A Ferrari estreou um novo pacote de modificações aerodinâmicas nos carros, que na prática não resolveram nada. Quando ganhou cinco títulos seguidos, o time de Maranello testava tudo nas pistas, chegou a ter Luca Badoer, Luciano Burti, Rubens Barrichello e Michael Schumacher andando em seu circuito particular, onde cada piloto trabalhava com uma solução diferente. Tudo isso acabou e a equipe ficou perdida, agora paga o preço de não se adaptar a nova realidade da categoria.
A próxima prova acontece no mesmo domingo da final da Copa do Mundo, ou seja, dia 11 de julho, na Inglaterra.
Rapidinhas
Furia oriental

Não há como negar, o japonês Kamui Kobayashi (Sauber), apesar de ter um carro limitado, está despontando como o melhor representante oriental da categoria em todos os tempos. Sobre o final da corrida e as duas ultrapassagens, ele falou com orgulho: "Depois do meu pit stop tinha apenas quatro voltas para usar os pneus novos, embora naquele momento tinha um acerto melhor do que qualquer outro piloto, e eu senti que tinha que tirar o máximo proveito. Claro que era um risco ultrapassar Alonso e Buemi, se não tivesse funcionado, teria ficado lá pra trás".
Dedo duro
Quando o Safty Car foi acionado, Lewis Hamilton da McLaren, acelerou para que o veículo entrasse na pista atrás dele. No mesmo instante Fernando Alonso alertou a Ferrari e perguntou se a manobra era correta, caso contrário, deveria chamar a direção de prova. Hamilton foi punido com uma passagem pelo box. Felipe Massa não gostou."A diferença entre nós e o Hamilton é que ele cometeu uma infração e nós não, mas a sua punição não teve efeito no seu resultado”, esbravejou o brasileiro, depois de terminar a corrida.
Choro de perdedor
Fernando Alonso foi mais duro em seus comentários, acusou os dirigentes, dizendo que a corrida foi manipulada. "Isto é uma vergonha para os fãs, eles vieram aqui e assistiram uma corrida manipulada. Quando o Safety Car saiu, Hamilton ultrapassou-o, algo que eu nunca tinha visto antes, não estávamos a mais de um metro de distância um do outro no momento, mas ele acabou a corrida em segundo e eu terminei em e nono", declarou Alonso ao site GP Update.

Postar um comentário