segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Aceleradas- GP Brasil: A consolidação da Red Bull

190679Em Interlagos, os carros da RBR dominaram, a diferença das outras corridas ficou por conta do vencedor Mark Webber chegou em primeiro e Vettel na segunda posição
Por: Edison Ragassi
Na última prova de F-1 do ano, os carros da RBR dominaram os treinos e a corrida. Tudo começou com a pole do bicampeão Sebastian Vettel, seguido pelo companheiro de time Mark Webber, ele também era postulante ao vice-campeonato.

190701

Apagadas as luzes vermelhas, Vettel não deu bola para os rivais e disparou na frente. Webber manteve a segunda posição e Jenson Button (McLaren) a terceira.

190631

Na confusão da largada, os pilotos passaram bem. Quem aproveitou a chance foi o espanhol Fernando Alonso (Ferrari), ele ganhou a posição de Lewis Hamilton (McLaren), foi para o quarto lugar, e Felipe Massa (Ferrari) superou Nico Rosberg (Mercedes- GP) e assumiu a sexta posição. Quem também manteve a colocação foi o brasileiro Bruno Senna (Lotus-Renault) e seguiu em nono lugar.
Pior para Rubens Barrichello (Williams), na corrida que pode ter marcado sua despedida da maior categoria do automobilismo internacional, ele caiu de 12º para 20º colocado.

190769

Bruno foi protagonista de um dos mais emocionantes pegas da prova. Michael Schumacher (Mercedes-GP), na 10ª volta, veio babando pra cima do brasileiro e tentou ultrapassa-lo na entrada do S do Senna. O piloto da Lotus-Renault fechou a porta, os carros tocaram-se e o alemão saiu com um pneu furado. Os comissários entenderam que a culpa foi de Senna, ele foi punido e perdeu as chances de brigar por pontos, terminando a corrida na 17ª posição.

190649

Lá na frente, Vettel recebeu a informação pelo rádio de que o câmbio de seu carro apresentava problemas. Ele diminui a velocidade até Webber passar e depois manteve distancia para não ser incomodado. Numa das conversas com seu engenheiro, disse que estava como Ayrton Senna em 91 (Senna ganhou o GP de 91 com a McLaren usando apenas a sexta marcha, as outras não entravam).

Este fato deixou uma dúvida no ar. Como Sebastian só administrou, chegou até a fazer voltas rápidas, será que não foi de propósito, só para dar a vitória ao companheiro?
Outro que sofreu com o câmbio de seu carro foi Lewis Hamilton (McLaren), porém, abandonou a corrida na 48ª volta. E Button com um carro melhor, ultrapassou Alonso, retomou a terceira posição que havia perdido na 11ª volta.

190781

Felipe Massa fez uma corrida discreta terminou na quinta posição e desabafou no final, “ainda bem que 2011 terminou”.  A Ferrari promete um carro revolucionário na próxima temporada, só que o brasileiro vai ter que enfrentar o espanhol dentro do time.

DSC09696

E o bravo Rubens Barrichello acabou a corrida na 14ª posição.  Rubinho, nas 19 temporadas que participou do circo, sempre deu exemplo de profissionalismo e dedicação. Tenho certeza de que se ele continuar, seja na Willams, Lotus- Renault ou Force India, será muito útil. A combalida Williams este ano marcou 5 pontos, quatro de Rubinho, enquanto que o pagante Pastor Maldonado foi responsável por apenas um.

Marcaram pontos em Interlagos:
1º - Mark Webber
2 º - Sebastian Vettel
3 º - Jenson Button
4 º - Fernando Alonso
5 º - Felipe Massa
6 º - Adrian Sutil
7 º - Nico Rosberg
8 º - Paul di Resta
9 º - Kamui Kobayashi
10 º - Vitaly Petrov

Com 392 pontos Vettel faturou o titulo, Jenson Button somou 270 pontos e ficou com o vice-campeonato , na terceira posição terminou Mark Webber ao somar 258 pontos.
Agora o que esperar de 2012? Simples. Se os projetistas da McLaren e Ferrari não usarem toda a genialidade e trabalhar duro até 18 de março, vamos ver outra temporada dominada pela RBR.

Rapidinhas
Brasileiro profissão esperança
Rubens Barrichello negocia com a Williams sua permanência na F-1 e não tem certeza se irá emplacar sua 20ª temporada. Situação semelhante aconteceu em 2008, quando a Honda saiu da categoria e a equipe virou Brawn GP. "Saio de Interlagos da mesma forma que sai em 2008: sem novidades, mas com uma boa perspectiva. A equipe tem mudado muita coisa para mudar também os pilotos", declarou ao final da prova.

Sem ressentimentos
Durante a temporada, Hamilton tocou várias vezes em Massa (no total foram 6 acidentes), e os dois pilotos tiveram o relacionamento abalado. No Brasil, o inglês interrompeu a coletiva do brasileiro e selou a paz. "Foi bom ter uma conversa legal com o Felipe depois da corrida. Eu tenho bastante respeito por ele e estou ansioso para enfrentá-lo de novo no próximo ano". É isso aí, rivalidade só na pista. 

Temporada ruim
Felipe Massa saiu de Interlagos com um recorde negativo, não subiu ao pódio durante todo o ano. Na opinião dele o grande culpado foi o carro. "Nem eu nem Fernando tivemos um bom ritmo. Nosso carro não estava competitivo nesta pista. Foi uma das piores temporadas da minha vida. Para falar a verdade, não teve nada de bom em 2011. Tem que cancelar tudo", afirmou.

Postar um comentário