segunda-feira, 26 de março de 2012

Aceleradas: GP Malásia - Santa Chuva!

195331

De maneira surpreendente, Fernando Alonso conduziu a Ferrari para sua primeira vitória. Bruno Senna marcou seus primeiros pontos e o fato negativo, Felipe Massa chega em 15º

De novo, logo após os treinos classificatórios para o GP da Malásia em Kuala Lumpur, a impressão é de que teríamos domínio total das McLarens, pois Lewis Hamilton e Jenson Button marcaram primeiro e segundo lugar respectivamente e Michael Schumacher (Mercedes-GP) saia na terceira colocação.

195342

Como já é tradição, a chuva chegou ao circuito de Sepang bem na hora da largada, o que obrigou os pilotos a colocar os pneus intermediários.
Apagadas as luzes vermelhas, após seis voltas, a prova foi interrompida por que a chuva ficou muito forte e neste momento já tinha uma surpresa, o mexicano Sergio Pérez (Sauber) estava na terceira posição.

Depois de 50 minutos, a relargada aconteceu com os carros andando atrás do safety car, que saiu da pista na 14ª volta. Hamilton foi para os boxes, e levou junto Alonso. A McLaren falhou na troca e o espanhol aproveitou para assumir a liderança, seguido por Perez.

195272

Narain Karthikeyan (Hispania) teve papel fundamental nesta vitória da Ferrari. O indiano atrapalhou Button e Sebastian Vettel (RBR), ambos perderam muitas posições, o alemão abandonou na última volta quando estava em 12ª lugar.

Uma boa prova fez Bruno Senna (Williams), o brasileiro ultrapassou, brigou por posições e terminou em sexto lugar, marcando em uma corrida mais pontos do que a equipe conseguiu na temporada passada inteira.

195276

E Felipe Massa, mais uma vez brigou com o carro, errou na estratégia de trocas de pneus e sua Ferrari não andava. Resultado, enquanto Alonso correu mais que o carro, Felipe amargou uma frustrante 15ª posição.
A imprensa italiana esta pressionando a equipe para trocar o brasileiro, já fez até pesquisa para apontar o substituto, e pasme, a torcida quer a volta de Rubens Barrichello no segundo carro do time. E cá pra nós, a capacidade de Barrichello em acertar carros cairia muito bem neste delicado momento por qual passa a equipe.

Para aqueles que acreditam, que a Ferrari não vai dispensar o brasileiro antes do final do contrato é melhor esperar. O time de Maranello demitiu o francês Alain Prost, com três títulos mundiais, na véspera do GP da Austrália de 1991 e passou o ano de 1992 pagando o alto salário do campeão, sem ele nem sequer passar pela porta dos boxes. 

195337

No final, Alonso foi pressionado por Pérez, mas usou toda sua experiência e capacidade de pilotar para superar o adversário, que nas suas tentativas de ultrapassagens até saiu da pista, mas conseguiu manter a primeira segunda colocação da história da equipe na F-1.
Marcaram pontos no GP da Malásia:
1º - Fernando Alonso

2º-  Sergio Pérez

3º-  Lewis Hamilton

4º - Mark Webber

5º-  Kimi Raikkonen

6º-  Bruno Senna

7º-  Paul di Resta

8º-  Jean-Éric Vergne

9º-  Nico Hulkenberg

10º-  Michael Schumacher

195278

A F-1 agora tem uma pausa de três semanas e volta dia 15 de abril no GP da China, em Xangai. Neste período, as equipes trabalham em suas fábricas e prometem melhorar, vamos aguardar!

Rapidinhas
Vencemos, mas...
Uma vitória sempre é bom para apaziguar os ânimos, mas Fernando Alonso sabe que os problemas não acabaram. "Acho que não muda nada, para ser honesto. Estamos em uma posição que não queremos, estamos lutando para entrar no Q3 e, em seguida, lutando para marcar alguns pontos. Queremos lutar por pole positions, vitórias, mas nas duas primeiras corridas não encontramos nosso ritmo", declarou o vencedor do GP da Malásia.

Bendita chuva
Bruno Senna comemorou a sexta posição como se fosse uma vitória, mas ele tem consciência que se não chovesse o resultado seria outro. "Meu carro estava bom nas duas condições da pista, mas é claro que seria muito mais difícil avançar na corrida no seco”, afirmou o piloto.

E Massa lamenta!
O brasileiro Felipe Massa tem seu pior inicio de temporada em toda sua história na Ferrari, são duas corridas que ele não marca pontos. "Optamos por seguir o que Rosberg estava fazendo, como ele também estava aparentemente sofrendo com seus pneus, mas não deu certo e nós perdemos muito tempo com essa parada extra, dado que os outros permaneceram na pista por algumas voltas antes de mudar para os pneus secos", declarou admitindo o erro de estratégia.

Postar um comentário