terça-feira, 6 de novembro de 2007

Avaliação: Clio Sedan 1.0 16V Hi-Flex

Sedã pequeno da Renault tem excelente espaço interno e porta-malas que deixa muito sedã grande morrendo de inveja
Texto: Edison Ragassi
Fotos: Alexandre Andrade/ Rodrigo Estrela
Em novembro de 2005 chegou ao mercado a linha Clio Hatch e Sedan da Renault, equipada com motor 1.0 16V Hi-Flex, ou seja, pode ser abastecido com álcool, gasolina, e a mistura dos dois em qualquer proporção. Este propulsor desenvolve 77 cv de potência ao usar álcool e 76 cv quando está com 100% gasolina. O torque máximo é de 10,2 mkgf (álcool), contra 10 mkgf na versão anterior movida só a gasolina.
Diferente das montadoras tradicionais como Ford, Fiat, GM e VW, que compram o sistema de fornecedores externos (Bosch, Delphi, Magneti Marelli), a Renault optou por desenvolver tecnologia própria na injeção de combustível, e seus modelos também podem ser abastecidos com gasolina pura, igual a usada nos países do Mercosul.
E não foi só o coração que mudou, pois o carro passou por uma plástica, a segunda desde o lançamento. Foram desenhados novos pára-choques dianteiros e traseiros, pintados na mesma cor da carroceria, o que ampliou as dimensões do veículo, a versão sedã passou para 4.191 mm, o modelo anterior tinha 4.150 mm.
Na dianteira, a logomarca em losango, que separa em duas partes a grade
frontal, cresceu. A parte inferior do pára-choque recebeu três entradas de ar para arrefecimento. Foi mantido o desenho do conjunto ótico, com cantos angulados e recebeu uma nova máscara de acabamento na cor cinza.
Uma solução interessante foi adotada na traseira, pois a logomarca, bem no centro da tampa, abriga o sistema de abertura do porta-malas. A identificação ‘Clio Hi-Flex’ está no lado esquerdo, e Renault do lado direito. O desenho das lanternas não sofreu alterações, em relação ao anterior, formato de um triângulo, acompanha as linhas da tampa do porta-malas e avança nas laterais. Entre os sedãs pequenos, tem o maior porta-malas da categoria: 510L.
Já o sistema de suspensão não recebeu
modificações, permaneceu com a mesma calibragem e configuração, McPherson, com triângulo inferior, amortecedores hidráulicos telescópicos com molas helicoidais e barra estabilizadora. Na dianteira, rodas semi-independentes, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos telescópicos verticais com barra estabilizadora.
Para o interior, os revestimentos das portas foram redesenhados, e os comandos de acionamento dos vidros elétricos dianteiros saíram do console central, e foram instalados
acima dos alto-falantes, próximo à alavanca de abertura interna da porta.
A parte superior do painel de instrumentos, também foi redesenhada, e acompanha o layout dos mostradores do quadro de instrumentos. Nas versões equipadas com airbag, volante de três raios, igual ao utilizado no Clio comercializado na Europa.
Estes detalhes no acabamento são incorporados após inúmeros testes, pesquisas e servem para agradar o consumidor. “Escolhi o Clio Sedan, porque é um carro muito confortável”, afirma a gerente de loja Lúcia Garcia”.
Ela possuí a versão Authentique (de entrada), do sedã da Renault fabricado no Paraná, e traz de série itens como: desembaçador do vidro traseiro, apoios de cabeça dianteiros e traseiros reguláveis em altura, airbag para passageiro e condutor.

Considera o carro macio, “é fácil para realizar manobras, silencioso, é bom de guiar”.
A gerente utiliza seu Clio no dia-a-dia de trabalho, e estudos. Ela não segue um padrão, na hora de abastecer, por isso reveza entre álcool e gasolina, “comparado com outro carro que usa só gasolina, o Clio Hi-Flex, é muito econômico, assim gasto menos dinheiro para abastecer”.
Ainda segundo Lúcia, a maior virtude do Clio Sedan é o porta-malas, “o espaço para carga foi bem pensado, principalmente para quem tem criança, pois o volume de coisas a serem transportadas é grande, e o Clio não decepciona, é um carro muito funcional para ser utilizado em condições urbanas, com transito carregado”, afirma ela.
Impressões ao dirigir
Nesta avaliação, Auto Agora usou a versão Privilège, topo de linha, com preço sugerido para venda de R$ 41.690. As outras opções existentes são: Authentique (R$ 32.190), Expression (R$ 35.840) e a série limitada Plug (R$ 35.840).

Ao entrar no Sedan, a sensação é de conforto, conforme relatado pela entrevistada.
Antes de girar a chave, é necessário fazer as regulagens nos espelhos, bancos, altura e profundidade do volante, o que acontece de maneira simples e confirma a boa posição para dirigir.
Após os ajustes, a ignição é acionada e percebe-se que o propulsor é silencioso. O arranque não é dos mais empolgantes, ele demora um pouco para deslanchar.
Nos primeiros quilômetros, foi possível confirmar a praticidade do
‘comando satélite’ para controle do sistema de som, acoplado ao lado direito do volante. Este equipamento faz com que o motorista ajuste a sintonia das emissoras de rádio, ou seleção das faixas de um CD, assim como volume, com muita facilidade, sem perder a atenção no transito. O mesmo acontece ao acessar as informações do computador de bordo, o botão é acionado na alavanca do limpador de para brisa.
O painel de instrumentos é de fácil visualização, e a marcação de velocidade de 10 em 10 km/h, é bem funcional para as situações de velocidade máxima como 30 km/h (geralmente próximo a hospitais e escolas), 70 km/h (pista lateral das Marginais Pinheiros e Tietê), mas a grafia também deveria mostrar os números de 20 em 20 km/h, pois 40 km/h é a velocidade quase que padrão nas lombadas eletrônicas ou 60 km/h, a média utilizada em avenidas.
Quanto ao desempenho, o Clio Sedan mostra-se rápido, após completar o ciclo de uso da segunda marcha. Em giro alto corresponde bem, para uma velocidade média de 60 km/h, o ponteiro do conta-giros mantém-se em 3.000 rpm na terceira marcha, só falta um pouco de fôlego quando encara uma subida, mesmo embalado, dificilmente ultrapassará sem troca de marcha.
Já no terreno plano em uma rodovia como a Anchieta, ou Bandeirantes, surpreende, pois deslancha com facilidade e não causa susto para realizar uma ultrapassagem.
Os acertos de suspensão são bem eficientes, para motorista e passageiros, sem desconforto e solavancos ao enfrentar valetas e lombadas.Um carro com DNA urbano, espaçoso e eficiente, para uso diário nas grandes cidades, assim podemos definir o Clio Sedan 1.0 16V Hi-Flex
Mercado
A história deste modelo no Brasil começou no ano 2000, a versão hatch chegou ao mercado um ano antes.
Segundo Claudinei Santos Nunes, consultor de vendas da loja Santa Fé Multimarcas, o que provoca a desvalorização no segmento independente é a
política de comércio da montadora, “para o comprador as vezes é mais vantajoso negociar na rede autorizada, pois eles valorizam o usado e oferecem vários descontos no modelo zero”, explica.
Além disso, Claudinei fala que alguns consumidores ainda pensam que o Clio é importado, “por isso acontece uma demora maior para vender”.
O consultor explica que o carro é bom e, além do preço, o principal atrativo é a lista dos itens série, “as versões disponíveis geralmente são completas, com airbag duplo, direção hidráulica, ar-condicionado, quem analisa custo beneficio, compra e não se arrepende”, complementa.
Ficha técnica Clio Sedan 1.0 16V Hi-Flex
Motor: D4D Hi-Flex, dianteiro, transversal, 4 cilindros em linha, 16 válvulas
Tração: Dianteira

Cilindrada: 999 cm³
Potência: 76 cv (gasolina) a 6.000 rpm / 77 cv (álcool) a 6.000 rpm
Taxa de compressão: 10:1
Torque máximo: 10 mkgf (gasolina) a 4.250 rpm / 10,2 mkgf (álcool) a 4.250 rpm
Alimentação: Injeção Eletrônica Multiponto Seqüencial
Rodas: Aço Estampado/ Liga Leve (opcional)
Pneus: 175/65 R14 ou 185/60 R14 (roda liga leve)
Suspensão dianteira: McPherson, com triângulo inferior, amortecedores hidráulicos telescópicos com molas helicoidais e barra estabilizadora
Suspensão traseira: Rodas semi-independentes, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos telescópicos verticais com barra estabilizadora
Freios: Duplo circuito em “X”, discos ventilados dianteiros, com 238 mm de diâmetro, e tambores traseiros, com 203 mm de diâmetro
Direção: Mecânica (direção hidráulica disponível opcionalmente)
Câmbio: Mecânico, 5 velocidades
Peso (em ordem de marcha) 925 kg
Distancia entre eixos: 2.472 mm
Comprimento: 4191 mm
Altura 1.417 mm
Largura com retrovisores: 1.940 mm
Tanque de combustível: 50 litros
Porta-malas: 510 litros
Carga útil: 525 kg
Postar um comentário