quinta-feira, 13 de novembro de 2008

A história do Salão do Automóvel de São Paulo

Por tratar-se de uma máquina desenvolvida para locomoção, desde sua invenção, o automóvel causa admiração. O gênio criativo do ser humano evoluiu o invento e aprimorou sua utilização para inúmeras funções e atividades. Partindo do principio de que tudo que é feito tem que ser mostrado, foi criado o ‘Salão do Automóvel’, que é um local onde os fabricantes de veículos reúnem-se para mostrar ao público seus principais produtos, lançamentos, experiências, e os denominados ‘carros conceitos’.
No Brasil a primeira edição do Salão do Automóvel foi realizada no ano de 1.960.
Confira a seguir os principais destaques da mostra até a 25ª edição em 2008, quando o Salão Internacional do Automóvel passou a figurar no calendário de eventos da OICA (Organização Internacional de Fabricantes de Veículos Automotores).
1960 – Dia 25 de Novembro é inaugurado, o 1º Salão de São Paulo (chamado Salão do Automóvel), no Pavilhão de Exposições do Ibirapuera. O evento reuniu as 12 montadoras existentes na época no país (Willys Overland, DKW-Vemag, General Motors, Ford, FNM, Simca, Volkswagem, Toyota, Romi-Isetta, International Harvester, Scania Vabis e Mercedes Benz). Em exposição, carros como o Aero-Willys, o modelo 61 da Renault Dauphine, o DKW, a Rural Willys, a Kombi e a Chevrolet Amazonas, além do primeiro automóvel experimental, hoje em dia chamado de conceito, fabricado no país: o Saci, construído pela Willys-Overland do Brasil.
1961 - O 2º Salão do Automóvel teve como destaques o Willys Interlagos, primeiro modelo esportivo de concepção totalmente brasileira, Simca Chambord, Centaurus (da Automóveis e Motores Centaurus, de Campinas) e o Volkswagen 1.2.
1962 – Os modelos expostos no 3º Salão do Automóvel celebraram a marca de 97% de nacionalização da fabricação de veículos. Entre os destaques estavam o Aero Willys 2600, a perua Simca Jangada, o esportivo VW Karmann-Guia, o DKW Fissore, o Scania -Vabis L-75. A Toyota mostrou o jipe Bandeirante, a Mercedes-Benz seu primeiro ônibus de turismo (com geladeira e sanitário). A partir deste ano, o evento passou a ser bienal.
1964 - A 4ª edição comemorou a marca de 1 milhão de veículos produzidos no país. A indústria começou a mostrar avanços tecnológicos como a caixa de câmbio com quatro marchas para frente sincronizadas do Aero Willys 2600, a mistura automática óleo-gasolina da DKW-Vemag, a suspensão pneumática para ônibus da linha FNM. Outras novidades foram o Aero-Willys 65, com novo design, a Vemaguet Rio, o Belcar, o esportivo GT-4200 da Brasinca, com motor Chevrolet, e a Veraneio da General Motors.
1966 – No ano que a indústria brasileira de veículos comemorou 10 anos de implementação, acontece a 5º edição do Salão. O evento é marcado pelo lançamento de dois modelos de luxo, o Itamaraty Executivo e o Ford Galaxie, além do esportivo Puma e novidades como os faróis de iodo da Cibié.
1968 - É realizado o 6 ° Salão do Automóvel no Parque do Ibirapuera. A mostra foi marcada pelo lançamento de produtos em uma nova faixa de mercado até então inexplorada, os carros médios. Entre as novidades, a Chrysler lança o seu esportivo GTX, a Ford traz o Corcel e o Galaxie LTD, a GM apresenta seu primeiro automóvel o Opala e a Volkswagen lança o sedan 1.6, de quatro portas, carinhosamente apelidado de Zé do caixão.

1970 – No ano que a Seleção brasileira conquistou a terceira Copa do Mundo de futebol, em 20 de novembro, o 7º Salão do Automóvel muda de endereço e vai para o Parque de Exposições do Anhembi. As grandes novidades são: o Dodge Charger, com motor V8 (oito cilindros em "V"), de 205 cavalos, o Meta 20 de Chico Landi, o FEI X-3 (com motor Chrysler de 300 HP), o Alfa Romeo 2150 da FNM, o Corcel GT e o Landau da Ford, o Karmann-Guia TC, TL e a Variant, da Volkswagen.
1972 - Na 8ª edição da feira foram apresentados o Dodge 1.8, conhecido como Dodginho, Maverick, Puma GTB, SP-2 e o MP Lafer, réplica do MG inglês. Também apareceu o primeiro desenho oficial do Chevette, lançado cinco meses depois.
1974 - As novidades foram o Passat, o Fusca 1.6, popularmente conhecido como Fuscão, a Caravan, station wagon derivada do Opala, e o ESF-22 da Mercedes-Benz, além do mini Puma (um conceito de carro econômico), e o Itaipu, carro elétrico da Gurgel.
1976 - Comemoração dos 20 anos do inicio das atividades da indústria automobilística nacional. Cresce a crise do petróleo e no 10º Salão do Automóvel, os fabricantes de veículos apresentam a novidade que recebeu elogios de todo o mundo: motores adaptados para uso do álcool. A Fiat participa pela primeira vez do evento com o Fiat 147.
1978 - O 11º Salão do Automóvel acontece quando a indústria comemora a marca dos 2 milhões de carros produzidos no Brasil. A General Motors apresenta uma versão mais sofisticada do Opala o Diplomata, além do Chevete de quatro portas. A VW exibe a Brasília de quatro portas. O Corcel 1.6 (com câmbio de 5 marchas a frente), o Maverick de injeção transistorizada foram as novidades da Ford. A Chrysler mostrou o Dodge Polara com transmissão automática. 1981 - Com muitas novidades, apesar da crise financeira do setor, é aberta a 12ª edição da mostra. A VW apresenta o Gol, Voyage e a Saveiro. A Ford mostra o Del Rey, e a Fiat, a Panorama. É apresentado o protótipo Xef, minicarro da Gurgel.
1983 - A Salão tem uma edição especial chamada Salão do Automóvel a álcool, para apoiar o esforço de implantação do uso desse produto. Entre os destaques estão o VW Santana e o Itaipu E-500, com tração elétrica e autonomia de 80Km.
1984 – A indústria comemora a produção de 15 milhões de automóveis no país. O 13º Salão do Automóvel apresenta protótipos de modelos projetados para o ano 2000, montado com vários equipamentos eletrônicos, o Lean Machine da GM, parecido com uma moto, e o Probe 4, da Ford, mais aerodinâmico e econômico. Outros lançamentos são o VW Santana Tecno II, com tração nas quatro rodas, freios antiblocantes, injeção eletrônica e microprocessadores no controle de combustível, além da linha Fiat Uno.
1986 - É a primeira vez que a indústria brasileira não participa do Salão. Foram importados 59 veículos norte-americanos, japoneses, alemães, ingleses, italianos e franceses. Entre eles, estavam a Ferrari 328, BMW 735 e o Porche 911.
1988 - O 15º Salão de São Paulo tem novidades eletrônicas nos automóveis brasileiros. A Volks mostrou o novo Gol GTI e a GM o Monza, já com injeção eletrônica de combustível e também lançou as vans Bonanza e Veraneio.
1990 - Com a abertura do mercado, acontece o 16º Salão de São Paulo. São expostos modelos importados como a Ferrari F-40, o Crown da Toyota, Alfa Romeo 164, Thunderbird e a van Aerostar, da Ford. Entre os nacionais, estão os novos Monza, Gol e Voyage 1992 - Na 17ª edição, chamada de "Salão da Abertura", a indústria brasileira coloca seus produtos ao lado dos importados. A GM exibe o Saab 900, a Ford, o utilitário esportivo Explorer. Entre os nacionais da marca Chevrolet aparece a perua Suprema, derivada do Omega. A Fiat lança o Tempra de duas portas e a Ford o novo Escort.
1994 - A grande novidade do 18º Salão é a confirmação do Mercosul como um dos maiores mercados mundiais para a indústria automobilística.Acontece investimento nos veículos populares (carros com motor 1.0). São mostrados o Gol 1.0 Plus, da VW, e o Vivio, popular da japonesa Subaru. A Ford inicia a importação do Ford Fiesta, com motor 1.3, e o sedã Mondeo. 1996 - O 19º Salão tem como marca a expansão do setor, com 300 expositores, entre nacionais e estrangeiros. Os lançamentos nacionais são o Chevrolet Corsa Wagon, o Fiat Palio Weekend e o Ford Ka. As importadoras exibem o Jaguar XK8, o Audi A3, o Porche Boxster, o Volvo S 40 e o BMW Z3. A Volkswagen traz da Alemanha o conceito Noah.
1998 - Acontece a 20ª edição do Salão com os mais recentes lançamentos da indústria mundial como a Maserati 3200 GT e o Audi TT. Outras novidades são o New Beetle, o Mercedes Classe A, e o Peugeot 206, além da BMW 328, e os Alfa Romeo 156 e 166. Destaque também para a instalação, no Brasil, de várias fábricas como a Audi, Chrysler, Honda, Land Rover, Mercedes-Benz, Mitsubishi, Renault e Toyota, que trouxe o Corolla Nacional e o Prius, primeiro veículo híbrido (movido a gasolina e eletricidade). O Xsara Break foi o lançamento da Citröen.
2000 - O 21º Salão Internacional do Automóvel fechou o século XX com grande quantidade de lançamentos e os carros conceito mostraram a importância do evento e do Brasil no contexto mundial. Entre as novidades, o primeiro carro com carroceria totalmente em alumínio foi o destaque da Audi. o Xsara Picasso fez sua pré-estréia. O Focus foi a principal novidade da Ford e a Volkswagen lançou o Bora.
2002 - A indústria nacional começa a fabricar veículos em maior escala para outros mercados, como o México, países do Oriente Médio e Mercosul. Na 22ª edição do Salão do Automóvel, os lançamentos ficaram por conta da Ferrari Enzo, da BMW Z4, do Audi A8, do Porsche Cayenne, Honda Accord e do Mitsubishi Airtek. Naquele ano, os utilitários esportivos apareceram como tendência de design de veículos. É o caso do EcoSport, da Ford. Na ocasião também foram apresentados ao público o Honda Fit, o Citröen C3 e o Nissan Xterra.
2004 - Na 23ª edição do Salão Internacional do Automóvel mais de 180 expositores representaram 32 marcas exibiram ao público pouco mais de 460 veículos, de diferentes modelos e versões. OPólo Sedan, da Volks, teve lançamento mundial no Salão. Já a Honda fez uma pré-apresentação do Fit. A Citröen trouxe o C3, a GM destacou, entre os seus cinco lançamentos, o Meriva.
2006 - O maior evento da indústria automobilística da América Latina teve como tema "Paixão, Emoção e Evolução". A 24ª edição do Salão Internacional do Automóvel aconteceu justamente no ano em que a indústria automobilística nacional completou 50 anos de fundação. Os destaques dessa edição ficaram por conta dos modelos superesportivos como o Z4 Cupê, da BMW, o Mustang Shelby GT500, da Ford, a Ferrari GTB 599 Fiorano, o Porsche Carrera GT, o Eos da Volkswagen. O Chevrolet Camaro estava no estande da GM. Já a Volvo mostrou o cupê-cabriolet C70 Cabrio. No XK Jaguar um motor V8 4.2 de 300 cavalos. Outro modelo também consagrado no exterior presente no Salão foi trazido pela Peugeot foi o 407 Cupê. A Renault mostrou o novo Mégane Cabrio. Já a Mitsubishi trouxe o Eclipse, com motor V6. Os conceitos Fine-T, da Toyota, Zaroot da Nissan, Concept-T, da Volkswagen, Concept FCC, da Fiat, e o HCD9 Talus Concept, da Hyundai chamaram a atenção, assim como o Prisma Y, da Chevrolet, e o 20Cup, da Peugeot, com três rodas.
Postar um comentário