segunda-feira, 25 de maio de 2009

GP de Mônaco: O primeiro a ser vencido

Ayrton Senna ganhou três títulos mundiais na Formula 1, e quando perguntado quem era o primeiro adversário a ser batido, ele sempre respondia que era o companheiro de equipe. Resposta natural, pois, teoricamente, o companheiro tem o mesmo equipamento, ou seja, começa em condições de igualdade, e perder pra ele mostra que o piloto não é tão bom assim. No GP de Mônaco, disputado nas charmosas e estreitas ruas de Monte Carlo, no domingo (24/05), o brasileiro Rubens Barrichello (Brown GP) esqueceu desta regra básica.Tudo começou nos treinos livres e classificatórios, quando Barrichello andou na frente de Jenson Button (Brown GP). Mas na hora que realmente valia, no Q3 da classificação, Rubens não só deixou o companheiro andar mais rápido e fazer a pole, como também perdeu a segunda posição para Kimi Raikkonen (Ferrari). A inocência de Barrichello, que não percebeu que o time de Button trabalhava o carro para condição de corrida, e por isso não era tão rápido nos ensaios, ficou evidente ao declarar, logo após a classificação, que julgava o inglês, carta fora do baralho. Bem, Barrichello tentou se redimir, e fez o que era possível. Logo na largada, de maneira arrojada, ultrapassou Raikkonen, e assim permaneceu até o fim da prova, na segunda posição, comboiando Jenson para conquistar a sexta vitória na temporada.

Rubens_Atras_ButtonRubinho que completou 37 anos no sábado (23/05) é dono de um retrospecto invejável na maior categoria do automobilismo mundial. E graças a este currículo, pode reverter esta situação e até conquistar o titulo. Alguns acham impossível, a diferença é de 16 pontos (Button-51/ Barrichello-35), mas até agora Rubens sofreu com vários problemas, desde mecânicos, até de estratégias, que impediram o brasileiro de ganhar. Faltam 11 provas para o final da temporada, e digamos que nas próximas seis, a coisa inverta. Rubinho começa a ganhar e Button passe a ter problemas. Ai os dois chegariam na Itália empatados, faltando ainda mais cinco provas para definir quem é o campeão. Exercício de futurologia, e otimismo exagerado. Pode ser. Mas, não vou esquecer que sou, além de torcedor, um amante do esporte a motor. Ainda me impressiono com um piloto que guia tão bem quanto Button esta guiando nesta temporada, com um Rubens que ultrapassa como ultrapassou na Espanha e em Mônaco. Também me impressiona uma equipe que consegue ganhar e liderar campeonato em seu ano de estréia, igual a Brown GP. E neste contexto Rubinho esta colaborando com toda a sua experiência. Pode acreditar, se Rubens não estivesse lá, a Brown não estaria com tanta vantagem.

Formula One World ChampionshipNa corrida de Mônaco, a Ferrari andou muito bem. Fez dobradinha na terceira (Raikkonen) e quarta colocação (Massa). Alguns consideram que ela se recuperou. Eu prefiro esperar os resultados da Turquia e Inglaterra (07 e 21/06) para confirmar essa melhora. O circuito do principado não serve de parâmetro para projetar futuros resultados, pois ali os carros até parecem modelos de rua. Independente do resultado, gostei da tocada agressiva de Felipe Massa, cometeu um erro ao tentar ultrapassar Sebastian Vettel (RBR), o que lhe custou duas posições, mas recuperou-se. Tenho certeza que aprendeu muito, sobre seus limites e os do carro.

Nelsinho_127341E Nelsinho Piquet, foi impedido de mostrar como esta sua técnica de pilotagem, já que foi tirado da prova por Sebastien Buemi (STR), que literalmente ‘entrou’ na traseira do Renault pilotado pelo brasileiro. Ainda pontuaram no GP de Mônaco: 5º-Mark Webber (RBR), 6º- Nico Rosberg (Williams), 7º-Fernando Alonso (Renault), e 8º- Sebastien Bourdais (STR). Na charmosa Mônaco, também aconteceu a reunião entre os proprietários das equipes, que não aceitam as regras impostas para a categoria a partir do próximo ano. Max Mosley quer que o orçamento de cada equipe seja limitado em 40 milhões de libras. Alguns colegas da imprensa não gostam desta medida, pois acreditam que na categoria máxima do automobilismo não pode ter limites de gastos.Eu já defendi esta medida neste espaço, antes de ser anunciada pela FIA. Isso porque, qualquer empresa, quando vai desenvolver um novo produto, não trabalha com orçamento ilimitado. É feito um planejamento, onde são designados os prazos e as verbas a serem gastas em cada área do projeto, por quê a F-1 não pode trabalhar desta maneira? Por tratar-se de uma competição, não vejo problemas, se os competidores forem limitados financeiramente. Acredito que isso irá estimular a criatividade de cada um dos participantes, e deixar a categoria mais competitiva. Por outro lado, também não dá para permitir que quem optar pela limitação orçamentária terá desenvolvimento livre. E quem quiser ter orçamento ilimitado, sofrerá sanções. Assim, teríamos duas categorias em uma só competição. Isso sim é injustiça.

Rapidinhas

Definição na classificação

Em comunicado distribuído por sua assessoria de imprensa Rubens Barrichello disse que estava feliz com o resultado obtido em Mônaco, e admitiu que a corrida foi decidida na classificação. "Estou muito feliz e orgulhoso com o que fizemos hoje. O fim de semana foi ótimo, o acerto do carro estava bom. Novamente, assim como em Barcelona, eu tive uma excelente largada, ultrapassando Raikkonen. Meu ritmo era bom, andei muito forte; estava atrás do Jenson, e até por isso, perdi um pouco de aerodinâmica. Tive um pouco de granulação nos pneus traseiros, e dificuldade com os freios. Então, fui para os boxes, a estratégia da equipe foi boa e o ritmo foi bem parecido com o do Button, talvez até melhor, mas não dava para fazer mais nada. Se você olhar bem a corrida, ela foi definida ontem, na classificação. Estou contente, marquei meus pontos, e a vitória deve acontecer”, explicou Barrichello.

Mônaco não perdoa

Felipe Massa fez sua melhor corrida na temporada. Largou na quinta colocação, e terminou na quarta posição. Ele errou logo no inicio da prova quando tentou ultrapassar Vettel, perdeu o ponto de freada e cortou a chicane. “Fiz uma besteira, deveria ter colocado o carro no lado esquerdo para o Vettel me passar pela direita, mas como fiz o Nico Rosberg (Williams) me passou também”. Antes de sua segunda parada, quando andava forte, encontrou Button pela frente. "Eu estava virando em 1’15’’, fiz a melhor volta da corrida (1’15’’154, na 50.ª volta), e de repente passei para 1’17". Assim o brasileiro não conseguiu ultrapassar Kimi.

A Ferrari vai embora?

A primeira a manifestar-se contra a limitação de orçamento para o próxima ano foi a Ferrari, até ameaçou deixar a categoria. Max Mosley, presidente da FIA, não acredita na saída dos italianos. "Estou convencido de que Ferrari ainda estará aqui, mas acho que um ou dois construtores podem deixar a F-1". O dirigente, ainda admite que alguns pontos deste regulamento podem passar por revisões e alterações.

Postar um comentário