quarta-feira, 13 de junho de 2007

Avaliação: Peugeot 206 1.6 Flex


Modelo compacto da montadora francesa Peugeot tem ótimo desempenho, é confortável, versátil nas ruas, avenidas e rodovias.
Texto: Edison Ragassi
Fotos: Paulo Gouvêa
Conhecida como ‘a marca do leão’, a montadora de origem francesa Peugeot tem o compacto 206 como sucesso mundial em vendas. Lançado no Brasil em março de 1.999, na época importado, no ano seguinte passou a ser produzido na fábrica instalada na cidade de Porto Real (RJ).

O primeiro 206 a sair da linha de montagem brasileira foi mostrado no Salão do Automóvel do ano 2000. Era equipado com propulsor 1.0L, feito pela rival de mesma nacionalidade Renault. Este motor deixou de ser usado no ano passado, quando a Peugeot passou a oferecer o modelo 1.4L Flex, ao mesmo preço do carro 1.0L.
Já o irmão mais forte (1.6L), durante três anos, foi importado. Em março de 2002, com o inicio das atividades da fábrica de motores, foi nacionalizado e este ‘brasileirinho’, 1.6 L 16 válvulas, rende 110 cv de potência.

Outra mudança no coração do compacto - e esta pode ser chamada de radical -, foi apresentada em abril do ano passado. O 1.6 L ganhou tecnologia Flex Fuel o que permitiu usar álcool, gasolina ou a mistura dos dois em qualquer proporção.
O fato é importante para a multinacional francesa, pois diferente de fabricantes como GM, Ford, VW e Fiat, que desenvolveram motores movidos a álcool, e usaram esta experiência para colocar no mercado os bicombustíveis, os franceses tiveram que aprender as características do derivado da cana-de-açúcar, pois conheciam a gasolina, diesel, biodiesel (na Europa, produzido a partir do óleo de "cousa"), motores elétricos e até mesmo realiza pesquisas com propulsores movidos a hidrogênio (carro conceito H2O), mas álcool combustível foi uma invenção 100% brasileira.
O sistema foi desenvolvido em conjunto entre os engenheiros do Centro de Produção de Porto Real e da Robert Bosch do Brasil.
Segundo divulgação da montadora, pesquisas, testes, e todo o processo de implantação, consumiram R$ 40 milhões em investimentos.
E este 206 1.6L 16v Flex, é o carro avaliado no Auto Agora desta semana.
Na versão topo de linha (Feline), oferece freios a disco nas 4 rodas, ABS (opcional), ar- condicionado digital, sensores de chuva e luminosidade, air bags (opcionais), entre outros.
Design arrojado, a frente chama a atenção. A grande grade dianteira colocada na parte inferior, de contornos ovalados, passa a impressão de que o 206 está sorrindo!
Outro detalhe que dá um visual esportivo é a dupla entrada de ar acima do capô, este reto, dois vincos na parte superior. Os faróis são encaixados entre a tampa e os pára-lamas e o Leão, símbolo da marca, está bem ao centro.
A lateral tem lâmpadas repetidoras, vinco que começa na metade do pára-lama dianteiro e termina na lanterna traseira, o borrachão é da mesma cor do veículo.
Já na traseira, as lanternas invadem as laterais, a área envidraçada, segue a linha inclinada da tampa, e abaixo, no centro do pára-choque, a luz de neblina. O acabamento interno é requintado, assentos confortáveis, painel de instrumentos de fácil visualização, e um equipamento fácil de usar: o controle do sistema de som no lado direito do volante.
No console central estão os comando dos vidros elétricos, divididos em dois módulos, próximo a alavanca de mudanças os controles dianteiros e de retrovisores. Um pouco mais acima aparece os controles traseiros, e causa alguma confusão ao condutor, pois é fácil apertar o botão traseiro, pensando que é o dianteiro.
Quanto ao desempenho, o 206 hatch 1.6 Flex, agrada. As relações de trocas das marchas são curtas, tem bom arranque, tanto abastecido com álcool ou gasolina. Suspensão macia, mas é bom tomar cuidado ao ultrapassar valetas e lombadas, para que o espoiler dianteiro não raspe no solo.
Na rodovia desenvolve velocidade de maneira rápida, e não causa susto ao realizar uma ultrapassagem.
Enfim, um ótimo carro para enfrentar as exigências do dia-a-dia de uma grande cidade, mas também ideal para as férias e finais de semana, quando é necessário encarar uma rodovia.
Consumidor aprova
André Luís Yuhara é publicitário. Trafega diariamente pelas ruas e avenidas da cidade e municípios vizinhos para visitar clientes com um Peugeot 206 hatch ano 2004. “Ando rápido, pois o trânsito complicado faz com que esteja sempre atrasado e por isso preciso de um carro com bom desempenho e neste quesito ele é ótimo”, comenta.

Yuhara adquiriu o 206 de um amigo quando estava com 24.000 km rodados. “Antes de comprar fiz pesquisa de preço com carros de mesmo valor, e o que oferecia maior número de equipamentos foi o modelo da Peugeot”, explica.
A versão usada por André é a Presence, intermediária, traz de série sistema de som, ar- condicionado, trio elétrico, “o custo/benefício, comparado a outros modelos realmente é compensador”.
Além destas vantagens o publicitário considera o compacto confortável e bem acabado. Nos dias atuais o 206 preto de André está com 42.000 km rodados, “já realizei troca de peças, com 40.000 km troquei os amortecedores, já que um estourou, a injeção eletrônica passou por limpeza e troca de componentes, pois a marcha lenta apresentava avarias e o miolo da chave também apresentou problemas”, fala ele.
Mas André admite que exige muito do carro, “para cumprir horários em um trânsito caótico sou obrigado a usar uma condução mais agressiva, por isso nem sempre dá para desviar de buracos”, revela.
Para o publicitário, além dos detalhes de acabamento, outro ponto forte do carro é desempenho, “tanto na cidade como na rodovia ele anda forte, não tenho do que reclamar”, completa.
O consumidor interessado no modelo 206 encontra nas concessionárias as versões de 3e 5 portas, Allure (R$ 41.650,00 e R$ 43.100) e o lançado este ano HB Automático (R$ 48.800 5 portas), ambos com propulsor 1.6 Flex. Já as versões Sensation, Presence e Feline são equipadas com propulsor 1.4 Flex.
Ficha técnica
Motor
Número de cilindros: 4
Número de válvulas: 16
Cilindrada: 1587
Potência máxima: Gasolina: 110 cv Álcool: 113 cv, ambos a 5600 rpm
Alimentação Injeção eletrônica - multiponto seqüencial
Torque máximo: Gasolina: 14,2 mkgf, Álcool: 15,5 mkgf, ambos a 4000 rpm Transmissão
Tração Dianteira : Caixa de mudanças Manual (5 frente e 1 ré)
Direção
Mecânica e Hidráulica (opcional)

Suspensões
Dianteira: Rodas independentes, pseudo McPherson, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos integrados.
Traseira: Rodas independentes, amortecedores semi-horizontal, barras de torção transversais, amortecedores hidráulicos.
Freios
Dianteiros: Discos Ventilados
Traseiros: Discos sólidos
Pneus:185/65 R14 (versão Feline)
Peso do veículo em ordem marcha: 1.027 kg (5p)
Porta-malas:
Com banco traseiro rebatido 1.130 litros
Com bancos traseiros em posição normal: 245 litros
Dimensões
Entre-eixos: 2.442 mm
Comprimento: 3832 mm
Largura: 1.652 mm
Altura: 1.432 mm
Capacidade do tanque: 50 litros
Postar um comentário