domingo, 27 de janeiro de 2008

Lançamentos: Fiat Stilo Dualogic Automático

Novo Stilo ganha tecnologia da Fórmula 1
A linha Stilo 2008 chega com poucas alterações estéticas, a grande novidade é o câmbio automatizado semelhante aos utilizados nos carros de F 1
Por: Edison Ragassi

Fotos: ER/Divulgação
No último dia 22 de janeiro, a Fiat mostrou para a imprensa especializada de todo o Brasil, o Stilo Dualogic Automático.
O hatch médio teve a grade dianteira modificada, recebeu cromados para as versões Flex e Abarth, e detalhes vermelhos na opção Sporting. Os faróis de neblina são de série e localizam-se na parte inferior do pára-choque, o qual recebeu novo design.
Os espelhos retrovisores externos ganharam luzes indicadoras de direção, e os frisos detalhes cromados. As rodas também são novas em liga-leve 16” para os modelos Flex e Abarth, e 17” no Sporting.
Na traseira, as lanternas foram redesenhadas, assim como o pára-choque e um detalhe para reforçar o visual esportivo: a saída de escapamento dupla.
Internamente, o Stilo ganhou revestimentos em veludo Menire (Flex), couro e veludo Glamour (Abarth).
Para empurrar o Stilo, a montadora continua com o motor 1.8 Flex (112 cv com gasolina e 114 cv álcool) e no modelo Abarth o 2.4 20 Válvulas (167 cv gasolina).
Acessórios personalizados
Na linha de acessórios, os revendedores da marca disponibilizam o alarme original, o qual tem preço sugerido para venda de R$ 274,00 e garantia de três anos. O carro já está preparado para receber o módulo, o qual é conectado, assim não há necessidade de descascar, ou cortar fios.
O sistema de travas elétricas e fechamento dos vidros atua em todas as aberturas do carro, inclusive no teto solar. Já as versões Sporting (manual ou automática) saem de fábrica com entradas para dispositivos USB e iPod compatíveis com o rádio Connect e leitor MP3/WMA e viva-voz Bluetooth integrado.
O espelho de cortesia é iluminado no pára-sol do passageiro, com câmbio manual o Sporting ainda traz pedaleira e apóia-pé esportivo.
As novas chaves canivete na cor preta ostentam a nova logomarca e como opcional para todas as versões, há um novo interior bicolor, com acabamento em soft touch para o painel de instrumentos, console central e painéis de portas.

Câmbio automatizado, a grande novidade
Equipamentos simples como espelhos retrovisores e cintos de segurança, ou sofisticados sistemas de controle de tração e suspensão inteligente foram desenvolvidos nas pistas de competição. O mesmo acontece com o câmbio automatizado que equipa o Stilo brasileiro fabricado em Betim (MG).
O sistema de controle eletrônico para câmbios mecânicos, chamado ‘Free Choice’, foi criado pela área Powertrain da Magneti Marelli e estreou na equipe Ferrari da Fórmula 1 em 1989.
A empresa que integra o Grupo Fiat e tem sua sede em Hortolândia (interior de São Paulo), iniciou no Brasil os testes do equipamento em 2003. Segundo divulgado, ela investiu R$ 21 milhões até o lançamento do produto no Fiat Stilo. O sistema é composto por um comando eletro-hidráulico, que é montado diretamente sobre a caixa de transmissão mecânica do veículo e se encaixa no lugar do trambulador. Ele realiza as movimentações da embreagem e trocas de marchas, gerenciados pela TCU (Unidade de Controle de Transmissão) a qual, em conjunto com a ECU (Unidade de Controle do Motor), gerencia o momento mais adequado para a realização das mudanças.
Isso, conforme explicado pelos engenheiros, proporciona um menor desgaste do câmbio e aumenta de forma significativa a vida útil do sistema de transmissão do veículo.
O produto pode ser chamado de evolução do equipamento de trocas manuais, pois é um câmbio manual, o qual graças a tecnologia, funciona de maneira automática, e ainda oferece a opção de trocas seqüenciais, por meio da alavanca, ou controles acoplados no volante. Ele ainda corrigi a mudança errada, pois a central eletrônica não permite a mudança, e no lugar do som de engrenagens raspando, o motorista ouve um aviso sonoro e vê a mensagem no painel: “manobra não consentida”.
Segundo os engenheiros da Fiat, a manutenção do sistema de transmissão Dualogic é igual ao do sistema convencional. Apesar de usar óleo especifico feito pela Tutela, não necessita substituição, e o desgaste do disco de embreagem é semelhante ao da peça usada em sistemas manuais de troca.
Impressões ao dirigir
Para reforçar o apelo esportivo, a Fiat promoveu o teste drive do Stilo Dualogic Automático no mítico autódromo de Interlagos.
Assim foi possível sentir a força do 1.8 Flex e o excelente trabalho feito pela engenharia da montadora no sistema de suspensão. Ele agarra nas curvas, passa muita segurança ao motorista, pois a estabilidade é exemplar.
E as mudanças das marchas no módulo manual, com as trocas feitas nas borboletas ao lado do volante, ou através da alavanca são precisas, mas aqui vale ressaltar que é necessário habituar-se aos comandos.

Já com a troca automática, a condução na pista de Interlagos ficou ainda mais fácil, o único desconforto sentido é um pequeno tranco que acontece durante as mudanças das marchas é semelhante ao sentido quando o pé solta a embreagem.
Também foi possível guiar o Stilo pelas ruas ao redor do Autódromo, e aí não há diferença se comparado a um carro que tenha transmissão automática. A sensação de conforto é a mesma, e as trocas manuais seqüências são mais confortáveis que a dos sistemas convencionais.
Enfim, o carro ficou mais confortável para ser usado em situações de transito carregado e bem esperto, quando utilizado em rodovias.
A expectativa de comercialização do novo produto é positiva, Lélio Salles Ramos, diretor comercial da Fiat, acredita que as vendas do Stilo Dualogic Automático atinja em média 750 unidades/ mês, o mesmo acontecendo com a versão equipada com câmbio manual.
O preço sugerido para venda da versão 1.8 Flex é de R$ 51.270, 1.8 Flex Dualogic R$ 53.760, 1.8 Flex Sporting R$ 59.440 e Sporting Dualogic R$ 61.930.

Ficha técnica
Fiat Stilo 1.8 Flex Dualogic
Motor
Posição: Transversal, dianteiro
Número de cilindros: 4 em linha
Cilindrada total: 1.796 cm³
Taxa de compressão 10,5:1
Potência máxima: 112 cv / 5.500 rpm (gasolina) - 114 cv / 5.500 rpm (álcool)
Torque máximo: 17,8 kgm / 2.800 rpm (gasolina) - 18,5 kgm / 2.800 rpm (álcool)
Nº de válvulas por cilindro: 2
Eixo de comando de válvulas: Um no cabeçote
Ignição
Tipo: Eletrônica digital incorporada ao sistema de injeção
Alimentação
Combustível: Gasolina / Álcool
Injeção: Magneti Marelli
Câmbio
Comando câmbio eletro-hidráulico automático selecionável
Número de marchas: 5 à frente e uma à ré
Tração Dianteira, com juntas homocinéticas
Embreagem
Tipo: Monodisco a seco com comando eletro-hidráulico
Sistema de freios
De serviço: Hidráulico com comando a pedal. (ABS + EBD+ TC - opcional)
Dianteiro: A disco ventilado com pinça flutuante
Traseiro: A tambor com sapatas autocentrantes - Opcional ABS: a disco rígido com pinça flutuante
Suspensão dianteira
Tipo: MacPherson com rodas independentes, braços oscilantes em aço estampado ligados a uma travessa auxiliar, com barra estabilizadora
Amortecedores: Hidráulicos, telescópicos de dupla ação
Elemento elástico: Molas helicoidais
Suspensão traseira
Tipo: Semi-independentes, travessa de torção de seção aberta e barra estabilizadora
Amortecedores: Hidráulicos, telescópicos de dupla ação
Elemento elástico: Molas helicoidais
Direção
Tipo: Elétrica, pinhão e cremalheira
Rodas
Aro: 7,0" x 16", em liga leve, inclusive a roda de estepe. (opc.7,0”x17”)
Pneus: 205/55 R16 (215/50 R17, opcional.)
Peso do veículo
Em ordem de marcha: 1.235 kg
Carga útil (com condutor): 475 kg
Dimensões externas
Comprimento do veículo: 4.253 mm
Largura do veículo: 1.756 mm
Altura do veículo (vazio): 1.540 mm
Distância entre-eixos: 2.600 mm
Compartimento para bagagem: 380 litros (banco na posição normal), 350 a 430 litros (banco traseiro deslizante)
Tanque de combustível: 58 litros
Postar um comentário