segunda-feira, 26 de maio de 2008

F-1: GP de Mônaco

Mônaco, quase não perdoa erros!
Gostei da maneira que Felipe Massa conduziu sua participação no último GP de Mônaco. O piloto brasileiro da Ferrari manteve postura sóbria, e nem o fato de fazer a pole com uma volta perfeita (1min15s787), fez com que perdesse a humildade, tanto que na coletiva sua declaração foi: “se eu tivesse de apostar em mim na pole position eu não apostaria, nunca andei tão bem aqui, hoje é um dia especial”.

Massa foi seguido pelo companheiro Kimi Raikkönen, a 3ª posição foi de Lewis Hamilton (McLaren), em 4º Heikki Kovalainen (McLaren), 5º Robert Kubica (BMW-Sauber), 6º Nico Rosberg (Williams), em 7º largou Fernando Alonso (Renault), e no 8º lugar Jarno Trulli (Toyota). Rubens Barrichello (Honda) saiu da 15º posição, e Nelsinho Piquet (Renault) foi o 17° do grid.

Felipe largou muito bem, manteve a ponta, e o mesmo não aconteceu com seu companheiro que perdeu a segunda posição para Hamilton, já Kovalainen não conseguiu sair nem para a volta de apresentação, pois seu McLaren apagou e o finlandês foi obrigado a largar do box. As condições climáticas eram indefinidas, a pista estava molhada, mas não chovia forte, e foi o suficiente para causar uma lambança.

Já dizia Nelson Piquet, ‘correr em Mônaco é o mesmo que andar de bicicleta na cozinha de casa’, e com chuva Massa acrescentou, ‘no ladrilho molhado’. Ou seja, o charmoso circuito de rua quase não perdoa quem erra. Massa escorregou na 13ª volta, perdeu a primeira posição para Kubica, e como se não bastasse, a Ferrari errou no segundo pit do brasileiro, gastou 11,7 segundos para abastecer e trocar os pneus, o que definitivamente tirou Felipe da briga pela vitória e até mesmo a segunda posição.

Em compensação, logo no começo da corrida (7ª volta), Hamilton encostou no muro, perdeu um pneu traseiro, e teve que entrar no box para fazer a substituição. Esta parada que parecia prematura, proporcionou ao inglês mais tempo na pista, a vitória no tumultuado GP, e a liderança da competição.

Em segundo chegou Kubica, com Felipe em terceiro, Mark Webber em quarto (Red Bull), Sebastian Vettel (Toro Rosso) na quinta colocação.
O brasileiro Rubens Barrichello finalmente marcou pontos ao chegar na sexta posição com a Honda, o sétimo foi Kazuki Nakajima (Williams) e Kovalainen chegou em oitavo.
Kimi e Alonso, dois campeões em atividade, protagonizaram momentos inusitados. O espanhol da Renault forçou ultrapassagem onde não podia, e o finlandês da Ferrari, escorregou e acertou a traseira de Adrian Sutil que corre pela pequena Force India. Adrian chorou, já que largou na 18ª posição, e mantinha um excepcional quarto lugar.

E Nelsinho Piquet foi traído pela equipe. O brasileiro largou com pneus de chuva, andou o tempo todo alterando entre a 11ª e 10ª posição, quando o time o chamou para trocar pneus. A Renault colocou pneus lisos no carro do brasileiro, e ele escorregou.
Foi uma corrida movimentada, cheia de escorregões, algumas ultrapassagens, e principalmente de sangue frio dos pilotos. Eles andaram o tempo todo no limite, com a faca entre os dentes, mas no final que ganhou foi o público, pois na F-1 atual, é difícil encontrar este patamar de competitividade.

Rapidinhas
Como se fosse Ayrton
Ayrton Senna gostava de correr e ganhar nas estreitas ruas do principado. Ao final da prova, Hamilton parecia o brasileiro em suas declarações. "Este certamente foi o ponto alto de minha carreira, e o será pelo resto de minha vida", e completou, "mesmo se eu vencer aqui de novo, o que planejo fazer, esta é a melhor, pois nunca me diverti tanto em uma corrida".
Esta perdoado!
Adrian Sutil chorou, após ter que abandonar a corrida, ele foi acertado de maneira estranha pela Ferrari do atual campeão Kimi Raikkönen. "Foi uma grande corrida, com um final incrivelmente triste, poderíamos ter ficado com a quarta colocação, foi uma falta de sorte incrível Kimi ter batido em mim. Obviamente ele não o fez de propósito".
E os comissários da FIA também entenderam assim, e Kimi não foi punido.
Inferno Astral
Nelsinho Piquet está sobre pressão, o brasileiro ainda não marcou pontos. "Tive um fim de semana difícil e estou muito decepcionado. As condições da pista estavam mudando, mas corremos o risco de trocar os pneus de chuva pelos secos quando a pista ainda estava encharcada. Foi aí que bati na curva Saint Devote", declarou após a prova. O pior é que cresce o boato que ele será substituído. Tá na hora do Nelsão intervir!
Postar um comentário