terça-feira, 17 de junho de 2008

GP Canadá:Kubica entrou para a história

Até aqui, a melhor corrida da temporada. Assim podemos definir o GP do Canadá, disputado no domingo (08/06).
Quem assistiu os treinos classificatórios no sábado, percebeu que a corrida não seria uma disputa qualquer.

Lewis Hamilton (McLaren) fez sua parte e mostrou que gosta de pistas travadas ao marcar o melhor tempo do dia e superar o também rápido Robert Kubica (BMW-Sauber), na última volta. O atual campeão Kimi Raikkonen (Ferrari) largou em terceiro e Fernando Alonso (Renault) foi o quarto. Nico Rosberg (Williams) garantiu a quinta posição, e a surpresa do dia: Felipe Massa (Ferrari) largou em sexto.
Rubens Barrichello (Honda), largou na nona posição, e Nelsinho Piquet (Renault), pressionado saiu na 15ª posição.

Para temperar um pouco esta disputa, o asfalto começou a soltar na curva 10, e obrigou a organização a recapear o trecho horas antes da largada.
Luz vermelha apagada acontece a largada e Hamilton dispara na frente, abrindo espaço e deixando os rivais para trás. Até aqui parecia que teríamos mais uma daquelas corridas chatas, mas o destino encarregou-se de mudar a situação.
Tudo começou na 18.ª volta com a parada do Force India de Adrian Sutil. Aí entrou o Safety Car que mudou tudo.
Enquanto os fiscais trabalhavam na remoção do carro, os pilotos aproveitaram para fazer a troca de pneus e abastecimento.
Raikkonen saiu da área de parada na frente de Kubica, mas segurou o carro número 1, porque a luz vermelha estava acesa, e Kubica fez o mesmo. De repente, igual ao que acontece no transito das grandes cidades, Hamilton encheu a traseira do finlandês, pois não viu ele parado. Sobrou também para Rosberg que acertou a McLaren do inglês.

Imediatamente a batida, a luz ficou verde e o polonês da BMW arrancou.
Nesta mesma parada, Massa foi ao box, mas o equipamento de abastecimento falhou e a Ferrari mandou o piloto pra pista sem abastecer, e o brasileiro teve que voltar.
Daí pra frente um festival de coisas inusitadas aconteceu.
Rubens Barrichello com sua debilitada Honda confirmou que ainda é dos melhores pilotos em atividade. Sua estratégia de largar com o tanque cheio fez o brasileiro assumir liderança da corrida. Lógico que quando teve que parar, voltou para a quarta colocação, mas era nítido como ele tinha que brigar não só com os adversários, mas também com o carro. Rubinho levou no braço e terminou a prova em 7° lugar.
Depois do problema no box, Massa foi para a última posição e colocou a ‘faca entre os dentes’, para andar forte. Em uma tirada digna de grandes nomes do automobilismo mundial, ultrapassou dois carros de uma só vez, o de Barrichello e Kovalainen (McLaren), e terminou na quinta posição.


E a grande surpresa do dia: Robert Kubica conquistou sua primeira vitória na categoria máxima do automobilismo mundial e entrou para a história como o primeiro piloto polonês a vencer na F-1.
Mas não foi só isso, seu companheiro Nick Heidfeld foi o segundo, o que garantiu em grande estilo a primeira dobradinha para BMW.
De uma maneira geral o GP do Canadá foi realmente inusitado, pois David Coulthard (Red Bull) subiu ao pódio ao chegar em 3°. A quarta posição foi de Timo Glock (Toyota), em quinto ficou Felipe Massa (Ferrari), em sexto Jarno Trulli (Toyota). Rubens Barrichello ficou em sétimo, e Sebastian Vettel (Toro Rosso) em oitavo completou a zona de pontuação.

Agora Kubica lidera o campeonato com 42 pontos, Hamilton e Massa estão empatados com 38 pontos. O quarto colocado é Kimi Raikkonen que tem 35 pontos, e Nick Heidfeld, aparece em quinto com 28 pontos. A Ferrari é líder no campeonato de construtores com 73 pontos, a BMW tem 70 pontos, e a McLaren com 53.
A próxima etapa, ser o GP da França, que acontece no dia 22 de junho.
Espero que continue assim disputada ao extremo.
Rapidinhas
Custou caro

Depois do estranho acidente no box, Hamilton e Rosberg foram punidos com 10 posições no grid da próxima etapa. Mesmo assim, o inglês está confiante e garante que agora ninguém segura a McLaren.
Ano que vem, será diferente?
A Renault vive um momento delicado. Apesar ter o bicampeão Alonso, não consegue deslanchar. No Canadá o espanhol abandonou porque o carro teve o câmbio quebrado. Fernando fala que se até a Inglaterra a coisa não melhorar, o negócio é começar a preparar o carro para a próxima temporada.
Sensível melhora
Nelsinho Piquet largou na 15ª posição, fez algumas ultrapassagens e até chegou a figurar na zona de pontuação. Infelizmente o carro quebrou, e o brasileiro abandonou. Mesmo assim, continua o boato de que ele será substituído ainda este ano.
Postar um comentário