sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Bate papo: Salão do Automóvel de São Paulo 2012

Mostra internacional de São Paulo é marcada por anúncios e confirmações das fábricas de automóveis que entrarão em atividades no Brasil

Por: Edison Ragassi

Entre os dias 24/10 a 04/11, o Pavilhão de Exposições do Anhembi é o palco do 27° Salão Internacional do Automóvel de São Paulo. A exposição que nos últimos anos foi marcada por trazer ao público nacional super máquinas equipadas com a mais alta tecnologia, este ano ganhou outra importância, pois vários importadores aproveitaram para anunciar os planos de construírem fábricas ou iniciar produção de determinados modelos no Brasil.

O primeiro anuncio foi feito no domingo (21/10), véspera do dia de abertura para imprensa especializada. O Grupo Volkswagen organizou o Group Media Night, com a participação da maioria das marcas que comercializa no Mundo e anunciou os planos de produzir motos da marca Ducatti em Manaus. Na mesma noite, a General Motors promoveu a primeira aparição pública do compacto Onix, e fez o motor do modelo ‘tocar’ o Hino Nacional.

No dia seguinte, a BMW, informou que vai construir uma fábrica na cidade de Araquari em Santa Catarina. Também mantém estudos de fabricação nacional suas principais rivais do segmento Premium, a Audi, Mercedes-Benz, Land Rover e Volvo.

O Grupo nacional S.Auto, que estreou no Salão, planeja importar veículos e até 2017 produzir quatro modelos, são eles, Changhe, Jonway, Land Wind e Shuanghuan.

Por aqui desde 2001, a importadora Districar vai investir US$ 300 milhões, sua intenção é montar veículos das marcas chinesas Changan e Haima e os coreanos SsangYong no Espírito Santo, mesmo estado que tem assinada carta de intenções da CN Auto. Ela aguarda detalhes do Inovar-Auto e pretende inaugurar a fábrica em 2015.

A JAC Motors confirmou a retomada da construção da unidade produtiva na Bahia, eles estavam aguardando as definições do regime automotivo e a Chery está construindo em Jacareí, no Salão, anunciaram que produzirão o modelo Celer nas versões hatch e sedã.

Também chinesa, a Great Wall, entra no país através da empresa Latin American Motors, eles declararam que até dezembro entregarão ao governo proposta de projeto de uma fábrica.

A previsão é de que com todas estas unidades produtivas ativas, o Brasil de um salto de qualidade na comercialização de veículos para o mercado interno e passe a figurar entre os três maiores produtores mundiais.

E com tantos anuncios de construções de fábrica,o Salão do Automóvel, até pode ser chamado de: O Salão da Construção!

Postar um comentário