quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Rush- No limite da emoção, além de um super filme sobre a F-1, também serve como lição de vida e auto ajuda

RUSH_poster01Por: Edison Ragassi
Neste dia 13 de setembro estreia nos cinemas brasileiros o filme Rush- No limite da emoção. Ele conta a história entre a rivalidade de dois dos maiores pilotos que passaram pela F-1, Nick Lauda e James Hunt. Mas não vá assistir pensando só em ver um filme sobre corridas de carros, pois o relato é muito mais do que isso.
O diretor Ron Roward procurou mostrar também o lado humano dos personagens.

A rivalidade entre Lauda e Hunt começa nos tempos de F-3, que na época era uma categoria de base. Na sequencia, o piloto participaria da F-2 e depois chegaria na F-1.
Muitos deles corriam na F-1 e F-2 simultaneamente para engordar o faturamento, pois os valores que envolviam o esporte eram bem menores que os atuais.
Poster Teaser - Daniel Bruhl
Lauda é retratado como um piloto extremamente cerebral. Ele começou a escrever sua história na F-1, depois de brigar com o pai e pedir um empréstimo para comprar um lugar na extinta equipe BRM. Ao chegar no time, mudou todo o carro e conseguiu fazer o bólido andar 2,3 segundos mais rápido. Passou de piloto pagante a contratado!

Esta qualidade técnica chamou a atenção do companheiro e experiente Clay Regazzoni, que ao ser chamado de volta a Ferrari, exigiu a contratação de Lauda como companheiro. No time de Maranello, o austríaco brilhou, ganhou títulos, sofreu o acidente que quase levou sua vida e deixou as marcas e cicatrizes que carrega nos dias de hoje.
Poster Teaser - Chris HemsworthJá Hunt é mostrado como um playboy, desencanado, mulherengo, beberrão, fumante inveterado, mas com muita gana e sem medo de acelerar e bater rodas com os adversários.
Sua incursão no automobilismo era bancada pelo Lord Alexander Hesketh, que tinha uma equipe com seu sobrenome. Hunt não queria nem saber de onde vinha o dinheiro que pagava as contas de suas aceleradas, ele só queria correr.
Entre as cenas impecáveis dos dois duelando nas pistas, há espaço para mostrar como conheceram as respectivas esposas. A vida social e o comportamento dos pilotos sem o macacão.

O cuidado com a produção foi tão grande, que carros da época foram alugados para formar o gride das corridas. Os modelos que não conseguiram, mas tinham importância, pelo menos foram citados. É o caso, por exemplo, do Tyrrell de 6 rodas.
Vários autódromos foram reproduzidos, e não poderia faltar o brasileiro Interlagos. Mas para retratar o Brasil, também foi colocada uma escola de samba, o que, digamos saiu um pouco fora do contexto.

Outros temas das competições são mostrados, a preocupação dos pilotos com a segurança, os carros da época eram bombas ambulantes, e por isso Lauda quase morreu, depois que sua Ferrari bateu e explodiu. A cena do piloto pegando fogo é antológica.
E mais forte ainda, a vontade de viver do austríaco, ao passar por um intenso processo de recuperação e conseguir voltar a correr.

Apesar da rivalidade, Lauda e Hunt respeitavam-se, reconheciam que eram bons no que faziam e que um poderia superar o outro a qualquer momento.
James Hunt e vivido por Chris Hemsworth, mesmo ator do filme Thor. Quem interpreta Niki Lauda é Daniel Brühl de Bastardos Inglórios.
Assista o filme. Preste atenção nos detalhes. E tenho certeza que alguma lição você tirar para seguir com sua vida.
Veja o trailer é fantástico!



Postar um comentário