quarta-feira, 30 de maio de 2007

Avaliação: Honda Accord V 6

Esbanjando potência
Visual marcante, design arrojado, interior aconchegante, e motor de 240 cv, são alguns dos atrativos deste sedã importado pela Honda
Texto: Edison Ragassi
Fotos: Valéria Matias
Um importante modelo para a Honda é o Accord V 6. Isso porque no ano de 1992, foi o primeiro a desembarcar em terras tupiniquins, com a missão de mostrar ao consumidor nacional que a Honda também produzia carros, pois o brasileiro conhecia a marca como fabricante de motos.
Na época do lançamento o carro de origem japonesa foi comercializado na versão EX com transmissão automática e assim permaneceu até 1993.
No ano seguinte (1994), por questões estratégicas, o modelo passou a ser importado dos Estados Unidos e ocorreu ampliação da linha: Wagon nas versões, EX e LX, todas automáticas.
Já entre 1995 a 1997 foi a vez da Honda investir nos esportivos, e passou a comercializar o modelo Coupé manual e automático (versões EX, EXL, EXR-L).
A partir de 1998 até os dias de hoje as importações foram concentradas no sedã. Em 2000, beneficiada pelo acordo comercial, a empresa passou a trazer os veículos Accord fabricados no México, o último lote americano desembarcou em portos nacionais no segundo semestre daquele ano.
Em 2003 foi a vez da versão equipada com propulsor 2.4 i-VTEC, a qual a Honda parou de importar no lançamento da linha 2006, e a substituiu pela equipada com motor 2.0 VTEC.
Por tratar-se de um sedã grande, o comprador que mais mostra interesse é aquele que busca um carro familiar.
Com a recente reestilização promovida pela Honda em 2005, deixou de ser importado para o mercado nacional o modelo equipado com propulsor 2.4L.
No Auto Agora, avaliamos o modelo que usa motor 3.0 V 6 de 240 cv. O carro chama a atenção pelas linhas arrojadas e design robusto. Na dianteira, os vincos do capô compõem um conjunto agressivo com as três entradas de ar no pára-choque. Estes vincos combinam com o conjunto ótico. Os faróis são grandes, formato triangular, e saem pelas laterais, as luzes de neblina são de série na versão EX.

No modelo 2006, a traseira foi redesenhada, a tampa do porta-malas, é mais alta que a da versão anterior, avança sobre o pára-choque saliente e predomina o design de traços angulares.
Em lugar de duas lanternas traseiras compreendendo todos os grupos de sinalização, foram criados elementos destacados. O primeiro deles, um brake-light na tampa do porta-malas integrado de extremidades afiladas que emprega
LEDs em seu funcionamento, mesmo recurso utilizado nas lanternas, maiores que a do antecessor. As luzes-de-ré cresceram e estão localizadas no suporte da placa. E na parte inferior, as duas ponteiras de escapamento dão ar esportivo ao Accord V 6.
Já na lateral o destaque fica para a grande área envidraçada, o vinco de ponta-a-ponta, e na parte inferior das portas há frisos pintados na cor do carro. Completa o conjunto lateral, as rodas de liga leve (16´ x 6.5"JJ) calçadas com pneus 205/60 R16 91V.
No interior, os designers promoveram várias modificações. O painel de instrumentos foi reestilizado, ganhou novo desenho da manopla de câmbio, o piloto automático, com controle que fica do lado direito do volante. Ar-condicionado dual-zone (permite regulagens de temperatura distintas para passageiro e motorista), teto solar de acionamento elétrico, marcador de temperatura externa e CD charger para seis CDs. Acoplados ao volante, no lado esquerdo ficam os botões que controlam o volume e a troca de estações. Bancos revestidos em couro, com ajustes elétricos no banco do motorista e passageiro dianteiro. O console central tem apoio de braço deslizante, e volante que pode ser ajustado em altura e profundidade.
Com 1,82 m de largura total e 2,74 m de distância entre-eixos oferece
excelente espaço para acomodar motorista e passageiros, e ainda acomoda 446 litros de bagagem.
Mas o maior atrativo deste grande sedã está acomodado embaixo do capô, o propulsor 3.0L seis cilindros em ‘V’ (VTEC 24V de comando simples no cabeçote-SOHC). Construído em alumínio, o propulsor esbanja potência, desenvolve 240 cv a 6.250 rpm e 29,3 kgfm de torque a 5.000 rpm. Nesta versão, a relação de compressão dos pistões ficou em 10,0:1.
O sistema de transmissão automática de cinco velocidades é equipado com Intelligent Grade Logic Control, ele usa sensores os quais monitoram a posição do acelerador, e as variações de velocidade do veículo.
Com todos estes atrativos, dirigir o Accord V 6 é muito prazeroso. E isso fica evidente ao encostar o pé no acelerador. Ele tem arranque rápido, reações precisas, freios seguros e muito fôlego para ultrapassagens. Em uma cidade como São Paulo, cheia de radares, e com poucas vias rápidas (as mais conhecidas são as marginais do Tietê e Pinheiros) e velocidade média nas ruas em torno de 60 km/h, é preciso muita atenção.
A calibragem da suspensão agrada. Não há desconforto, tanto para motorista como passageiros, ao transpor obstáculos como valetas e lombadas, ainda proporciona segurança nas curvas.
Requer atenção para realizar manobras de estacionamento, principalmente em marcha à ré, já
que a traseira grande pode confundir o motorista.
Os comandos (vidros e travas) e controles (volume do sistema de som, piloto automático) estão bem a mão e não provocam distração ao utilizá-los.O sedã da Honda agrada consumidores como o empresário do Estado de Alagoas, Mário Leão
Colecionador de carros, ele estuda cada modelo antes de adquirir, e ao ser perguntado porque escolheu um Accord V 6, a resposta é curta e rápida: “pela performance”.
O empresário tem o carro equipado com motor V 6 ano 2002, ele comenta, “quando piso no acelerador, esqueço os problemas, pois o carro é muito rápido, com 240 cv é imbatível”.
Ele aprova os detalhes de acabamento usados em seu carro, “os bancos em couro são confortáveis, os mostradores do painel oferecem boa visualização, o sistema de som, também agrada, enfim é um carro bem acabado, só não gostei do sistema de ar-condicionado, muito simples para o porte do carro”.
Isso porque a linha 2002 usa sistema de refrigeração com controles mecânicos, já o atual é o dual-zone, ou seja, além de ser digital, o motorista escolhe a temperatura que mais agrada, assim como o passageiro.
Mário Leão diz que usa pouco o carro, “nos quatro anos que tenho o Accord andei com ele uma média de 15.000 km, fiz só uma revisão e não apresentou problemas, os itens trocados foram os indicados no manual”, afirma.
Atualmente o Honda Accord EX V 6 é comercializado na rede de concessionárias com preço sugerido para venda de: R$ 134.795 para todas as regiões do Brasil.
Ficha técnica
Motor:
Alumínio 6 cilindros em V
Cilindrada: 2.997 cm³

Potência: 240 cv a 6.250 rpm
Torque: 29,3 kgf.m a 5.000 rpm
Taxa de compressão: 10,0:1
Cabeçote 24 válvulas SOHC VTEC
Sistema de Controle Eletrônico do Acelerador (ETCS)
Transmissão:
Tração dianteira
Transmissão automática de 5 velocidades
Carroceria:
Monobloco
Suspensão:
Double wishbone independente nas quatro rodas
Direção: pinhão e cremalheira com assistência hidráulica
Freios:
Freios a disco nas quatro rodas (ventilados nas dianteiras) com ABS/EBD
Rodas:
Em liga leve 16” x 6.5” JJ
Pneus: 205/60 R16 91V
Dimensões:
Distância entre-eixos 2.738 mm
Comprimento 4.815 mm
Altura 1.466 mm
Largura 1.820 mm
Peso 1.532 kg
Capacidade do porta-malas 446 litros
Postar um comentário